Ressaca é capaz de acelerar o envelhecimento da pele, afirma especialista

Por Mariana Castro em 15/07/2016

Dor de cabeça, visão embaçada, sede intensa e enjoo. Tudo isso significa que a festa da noite passada foi tão boa que gerou a temida ressaca. Além dessas sensações de desconforto, o álcool ingerido em grande quantidade demora para sair do corpo e faz com que a pele sofra as consequências da bebedeira por até quatro semanas.

+ Coréia do Sul cria sorvete que promete curar a ressaca

+ Sete dicas para curar a ressaca

O dermatologista Harold Lancer, médico de celebridades internacionais como Kim Kardashian, explicou ao site Metro que uma taça de vinho tinto, por exemplo, contém 400 calorias de açúcar e isso que isso é o suficiente para aumentar as chances da pessoa desenvolver espinhas na pele.

O médico revelou ainda que as olheiras e o aspecto cansado das pessoas após uma noite de farra não são causados pelas poucas horas de sono. Eles são sinais de desidratação e isso pode levar ao envelhecimento precoce da pele. “O álcool é um diurético que desidrata o corpo inteiro – você pode comprovar isso ao observar a sede intensa que sente durante a ressaca”, explicou o dermatologista.

Além disso, se você tem rosácea, que é uma vermelhidão da pele, e pele oleosa ou muito sensível, o excesso de álcool ainda pode agravar essas condições. Por isso, a recomendação do dermatologista é a moderação. “Uma ou duas taças de vinho, eventualmente, não são um problema”, garantiu o médico.

Agora, se você pretende manter a sua vida festiva, uma excelente alternativa é beber muita água. Uma estratégia é beber um copo de água para cada drinque ingerido. Se você conseguir se manter hidratado, isso ajudará a manter a saúde e a beleza de sua pele por mais tempo. Cheers!

Foto: Thinkstock