Pessoas que passam mais tempo ao ar livre são mais felizes e saudáveis, aponta estudo

Por Patricia Machado em 02/08/2016

Respirar o ar fresco não é bom apenas para a saúde. O hábito também faz com que as pessoas se sintam mais confiantes com a sua aparência. Uma nova pesquisa liderada pela Anglia Ruskin University, no Reino Unido, descobriu que pessoas que passam mais tempo ao ar livre têm maior autoestima e aceitam o seu corpo com mais facilidade.

+ Fazer exercício físico retarda o envelhecimento, conclui pesquisa

+ Sanduíches podem arruinar a dieta, diz pesquisa

Os cientistas contaram com a colaboração de 399 voluntários com idades entre 19 e 76 anos. Eles responderam um questionário online para analisar os hábitos de frequentar lugares abertos e também para avaliar como as pessoas reagiam aos padrões de beleza impostos pela sociedade.

Dentre as perguntas respondidas, os participantes precisavam dar notas de 1 a 5 para demonstrar o quanto concordavam com frases como: “eu respeito o meu corpo”, “quando eu vejo uma pessoa bonita, eu me preocupo com a minha aparência” e “eu sinto pressão da minha família para emagrecer”.

De acordo com o líder do estudo, Viren Swami, estar conectado à natureza e passar tempo ao ar livre fazem com que as pessoas aprendam a compreender que elas fazem parte de um ecossistema muito maior do que os seus problemas pessoais. Isso permite que elas aceitem a sua aparência, melhorem a autoestima, sejam mais felizes e tenham hábitos mais saudáveis.

“Passar tempo em um ambiente natural pode nos ajudar a desenvolver uma maior consciência sobre o nosso corpo. Isso nos ajuda a compreender o que o nosso corpo pode fazer ao invés de pensar apenas em como o corpo é visto pelos demais”, explicou Viren ao Daily Mail.

Através dessas descobertas, os resultados do estudo também sugerem que pessoas que sofrem de inseguranças com a sua imagem ou de transtornos alimentares poderiam ser curadas ao passarem mais tempo ao ar livre.

Foto: Thinkstock