Saúde e Bem-Estar

Pessoas que compartilham fotos na academia são narcisistas, conclui pesquisa

Pessoas que compartilham fotos na academia são narcisistas, conclui pesquisa

Quem nunca foi surpreendido com uma repugnante selfie de um conhecido na academia enquanto checava a sua linha do tempo nas redes sociais, não é mesmo? O hábito de tirar e postar fotos capazes de mostrar os músculos e o comprometimento com a vida saudável já virou moda. O problema é que isso pode ser sinal de narcisismo.

+ Pesquisa revela que 25% dos britânicos já fizeram sexo na academia

+ Atividade sexual pode ser encarada como um exercício físico, diz pesquisa

Os pesquisadores da Brunel University London, na Inglaterra, analisaram os hábitos de 555 usuários do Facebook. A ideia era acompanhar as publicações e selfies relacionadas à dieta e exercícios físicos de cada um. Além disso, eles observaram a personalidade dos participantes para entender o que motivava essas pessoas a compartilharem informações sobre a sua forma física.

Após essa etapa, os voluntários do estudo tinham que responder um questionário online que permitia que os cientistas classificassem o nível da autoestima e narcisismo de cada um e avaliassem suas personalidades como extrovertida, neurótica, aberta a novidades, sensível e consciente.

O estudo concluiu que pessoas que postam fotos e selfies  na academia têm tendência a serem narcisistas. Na maioria dos casos, os voluntários compartilhavam esse tipo de publicação porque precisavam de atenção e também tinham a necessidade de se reafirmarem perante os amigos.

No entanto, os psicólogos também ponderam que, apesar das publicações atraírem um grande número de curtidas e comentários de incentivo, essas reações não necessariamente indicam aprovação dos amigos ou demais usuários.

“Esses amigos podem estar educadamente oferecendo seu apoio, mas secretamente reprovando essa exibição egoísta”, afirmou a professora Tara Marshall, uma das responsáveis pela pesquisa, ao Metro.

Foto: Thinkstock

Mais em Saúde e Bem-Estar

Sick

Como diferenciar os sintomas da dengue, zika e chikungunya

Carolina Romanini17/01/2017
Mexican chili con carne in a pan on a wooden

Comida apimentada pode reduzir o risco de morte, aponta pesquisa

Mariana Castro16/01/2017
portrait of happy young business man at office

Levantar durante o trabalho ajuda a queimar calorias, diz estudo

Patricia Machado16/01/2017
Salt spilling on table from salt cellar

Reduzir o consumo de sal poderia salvar milhões de vidas, aponta estudo

Patricia Machado16/01/2017
Feeling sick and tired.

Pesquisa descobre como o estresse aumenta o risco de doenças cardiovasculares

Mariana Castro15/01/2017
Woman meditating in the lotus position closeup

Meditação, Reiki e musicoterapia serão oferecidos pelo SUS

Patricia Machado13/01/2017
medium roast steak

Consumir carne vermelha em excesso pode causar doença intestinal, diz estudo

Mariana Castro13/01/2017
bonecas de proposito - reprodução

Aposentada cria bonecas terapêuticas para confortar crianças internadas

Mariana Castro13/01/2017
Boy using digital tablet while lying on rug at home

Uso excessivo de dispositivos móveis pode causar problemas de visão em crianças, diz estudo

Patricia Machado12/01/2017
projeto acucar - capa - reproducao

Projeto mostra a quantidade de açúcar em produtos industrializados

Patricia Machado11/01/2017
tired woman runner taking a rest after running hard

Fazer exercícios apenas no final de semana pode ser bom para a saúde, diz pesquisa

Mariana Castro11/01/2017
Woman smoker smoking a filter tip

Tabagismo deve causar a morte de 8 milhões de pessoas por ano até 2030, diz estudo

Patricia Machado10/01/2017
Man sleeps on office table over laptop with coffee

Uma hora de sono após o almoço pode rejuvenescer o cérebro, diz pesquisa

Mariana Castro10/01/2017
Young Female Patient Talking To Nurse In Emergency Room

Hospital exclusivo para mulheres é inaugurado na Bahia

Patricia Machado09/01/2017
Woman cleaning ear

Por que não é recomendável limpar o ouvido com cotonete?

Mariana Castro09/01/2017