Pesquisa descobre como o estresse aumenta o risco de doenças cardiovasculares

Por Mariana Castro em 15/01/2017

Viver constantemente estressado, ansioso e com raiva pode transformar os problemas psicológicos em transtornos fisiológicos. Os pesquisadores tentam há muito tempo encontrar uma relação entre esses sentimentos e as doenças cardiovasculares. Mas, somente agora, os cientistas descobriram o que faz deles um fator de risco para graves problemas de saúde.

+ Estresse na infância pode acelerar o envelhecimento, aponta estudo

+ Cientistas criam playlist capaz de reduzir a ansiedade e o estresse

Segundo os pesquisadores da Faculdade de Medicina de Harvard, nos Estados Unidos, o estresse é tão preocupante para o coração quanto a pressão alta e o fumo. Para o estudo, quase 300 pessoas tiveram o cérebro, a medula óssea, as artérias e o baço analisados ao longo de quatro anos. O objetivo era acompanhar se eles desenvolveriam doenças cardiovasculares.

Os resultados mostraram que 22 pessoas desenvolveram o problema. Foi observado que esses eram, também, os que tinham maior atividade na região da amígdala. Essa parte do cérebro é responsável por administrar emoções e está ligada às respostas do cérebro em situações de medo e prazer, tanto em seres humanos quanto em animais.

+ Costurar, cozinhar e pintar podem aliviar o estresse e a depressão, dizem especialistas

Essa observação ajuda a explicar a ligação entre problemas cardíacos e o estresse. O que os cientistas sugerem é que, em situações de estresse, a amígdala envia sinais para a medula óssea, produzindo mais células brancas para o sangue. Isso inflama as artérias, levando aos problemas de circulação que podem culminar em ataques cardíacos e derrames.

Foto: Getty Images