Saúde e Bem-Estar

Ouvir músicas tristes pode fazer você se sentir melhor

Ouvir músicas tristes pode fazer você se sentir melhor

Quem nunca teve uma playlist para aqueles momentos em que queremos “curtir” uma fossa? O que para uns pode parecer uma maneira de se afundar em uma melancolia sem fim, na verdade é uma forma de desencadear uma ampla série de emoções, além da tristeza. Pelo menos é o que diz a ciência.

Pesquisadores da Durham University, no Reino Unido, e da University of Jyväskylä, na Finlândia, chegaram à conclusão que ouvir músicas tristes pode fazer você se sentir melhor. Esse tipo de música pode levar a sentimentos prazerosos e confortantes, tudo depende das memórias que provocam. O estudo foi publicado no periódico científico Plos One

+ Ouvir música em casa deixa as pessoas mais felizes, inspiradas e sensuais, diz pesquisa

Os pesquisadores analisaram as experiências emocionais associadas às canções melancólicas de mais de 2 000 pessoas, buscando entender as razões que levam as pessoas a ouvirem essas músicas e os sentimentos envolvidos nisso. O que eles descobriram? Que, na maioria dos casos, o ânimo melhora.

É claro que isso depende muito da associação que o cérebro faz com a canção. Algumas pessoas demonstraram sofrimento ao ouvir tais músicas tristes — principalmente as que estavam associadas a casos de morte de alguém querido, divórcio, término de namoro ou outras adversidades significativas.

+ Spotify divulga as músicas mais ouvidas para correr

Disse o chefe da pesquisa, Tuomas Eerola: “Há pessoas que absolutamente odeiam músicas que soam triste e evitam ouvi-las. Em nossa pesquisa, quisemos investigar esse amplo espectro de experiências que as pessoas possuem com esse tipo de música e encontrar razões tanto para ouvir, quanto para evitar”.

Eerola tem esperança de que estes resultados possam ter uma aplicação prática em terapia musical. Ele acrescentou: “Os resultados nos ajudam a identificar as formas como as pessoas regulam seu humor com a ajuda da música, bem como a reabilitação musical e musicoterapia podem ajudar nestes processos de conforto, alívio e prazer”.

Via Daily Mail

Mais em Saúde e Bem-Estar

man in bed eyes opened suffering insomnia and sleep disorder

Dormir com raiva favorece a criação de memórias negativas, diz pesquisa

Mariana Castro05/12/2016
hands of Concerned Women for medical report written by doctor

Mitos e verdades sobre a endoscopia

Patricia Machado05/12/2016
Happy little girl outdoors

Falta de exposição à luz do dia contribui para o desenvolvimento de miopia, aponta estudo

Mariana Castro05/12/2016
HIV blood sample

Mais de 110 mil brasileiros têm o vírus do HIV e não sabem disso, aponta relatório

Patricia Machado01/12/2016
Selection of tropical fruits on white background

Laranja e abacaxi são os alimentos que contém mais agrotóxicos

Mariana Castro01/12/2016
Pretty Woman makes a choice between bad food

Coaching de emagrecimento é novidade para quem deseja perder peso

Carolina Romanini01/12/2016
Reassuring patient

Campanha mostra a importância da busca por informações corretas em casos de câncer

Patricia Machado01/12/2016
Fun old woman

Aumenta expectativa de vida do brasileiro, segundo IBGE

Redação Apontador01/12/2016
pessoa mais velha do mundo - AP4

Pessoa mais velha do mundo completa 117 anos e revela o segredo da longevidade

Carolina Romanini01/12/2016
Young man and woman working together in architects office

Olhar nos olhos durante uma conversa dificulta o funcionamento do cérebro

Mariana Castro01/12/2016
Woman playing tennis

Praticar tênis pode reduzir o risco de morte em qualquer idade, sugere estudo

Redação Apontador30/11/2016
girl with pink striped socks, sleeping in bed

Dormir de meias pode ser bom para o sono e até mesmo para o sexo

Mariana Castro30/11/2016
Manicure and care for beautiful woman nails

Unhas podem indicar doenças e falta de vitaminas; veja 5 sinais

Redação Apontador29/11/2016
Woman folding skin on her hips

Mitos e verdades sobre a celulite

Carolina Romanini29/11/2016
Difficult journey

6 dicas para preservar a coluna em viagens

Carolina Romanini28/11/2016