O modo como você cozinha o arroz pode ser perigoso para a saúde, revela pesquisa

Por Mariana Castro em 09/02/2017

O arroz é, sem dúvidas, o alimento mais popular na mesa do brasileiro. Por isso, talvez seja o momento de repensar o modo como você o prepara. Se, assim como a maioria, você utiliza o dobro de água para a quantidade escolhida de arroz, pode estar colocando sua saúde em risco.

+ Salada de pacote aumenta a proliferação de salmonela, revela pesquisa

+ Passo a passo para se tornar vegetariano

Isso porque, sem ser cozinhado em uma boa quantidade de água, o arroz mantém o arsênico, uma substância altamente tóxica que se mistura ao alimento durante o processo de industrialização. A exposição a esse produto químico pode gerar problemas de saúde como doenças cardíacas, diabetes, danos no sistema nervoso e, principalmente, câncer de pulmão e bexiga.

O especialista Andy Meharg, da Universidade Queen de Belfast, na Irlanda, realizou um experimento para determinar o modo de preparo ideal. Ele cozinhou o arroz de três formas diferentes, testando a quantidade de químicos que restavam quando a comida ficava pronta. No método mais comum, uma parte de arroz para duas de água, os níveis de toxinas eram muito altos.

+ Pesquisa descobre como o estresse aumenta o risco de doenças cardiovasculares

Ao usar cinco partes de água para uma de arroz, entretanto, os níveis de arsênico caíram pela metade. Já mantendo o arroz “de molho” na água, durante a noite, a quantidade caiu para 80%. Esse, portanto, foi apontado como o modo de preparo mais efetivo para o consumo saudável desse alimento. Se não for possível mantê-lo na água por tanto tempo, experimentos anteriores sugerem que doze partes de água para uma de arroz podem diminuir em mais da metade os níveis da substância.

Procurando um supermercado perto de você? Clique aqui e faça a sua busca no Apontador.

Foto: Getty Images