Itália planeja oferecer licença remunerada para quem sofrem com cólicas menstruais

Por Mariana Castro em 03/04/2017

Ser mulher pode ser maravilhoso em alguns aspectos, mas também muito desafiador. Durante a menstruação, por exemplo, a mulher fica mais introspectiva e é natural que ela sinta necessidade de ficar mais quieta, principalmente quando sofre com cólicas e desconfortos.

+ Nutricionista define o cardápio ideal para cada fase do ciclo menstrual

+ Cinco vantagens do coletor menstrual

Apesar disso, a maioria delas não pode ter essa regalia e precisa realizar, durante o período menstrual, as mesmas atividades que faz nos outros dias. Para as italianas, entretanto, isso está prestes a mudar. Uma proposta de lei quer tornar o país o primeiro do Ocidente a promover licença menstrual remunerada às mulheres.

A mudança exigiria que as empresas oferecessem três dias de férias pagas por mês, caso as mulheres estivessem sofrendo de cólicas menstruais. Atualmente, muitas já ficam impossibilitadas por essas dores, tendo que se afastar através de atestados médicos. Por isso, a lei teria grande impacto na vida feminina.

+ Alimentos que ajudam a aliviar os sintomas da TPM

Países como China, Japão, Coreia do Sul e Zâmbia possuem legislações similares. Além disso,  algumas empresas já estão aderindo à políticas como essa para ajudar suas funcionárias. A proposta deve ser aprovada nos próximos meses pelo parlamento italiano.

Foto: Getty Images