Gravidez muda a estrutura cerebral das mulheres, revela estudo

Por em 20/12/2016

Um estudo publicado na última segunda-feira (19) revelou que a gravidez é capaz de mudar a estrutura de algumas áreas do cérebro feminino. Essa mudança seria responsável, entre outras coisas, pela conexão da mamãe com o bebê.

+ Qual é o papel do pai durante a gestação?

+ Parto humanizado: conheça os benefícios e cuidados

Essas alterações permanecem no corpo da mulher por pelo menos dois anos. E, quanto maior a mudança na estrutura do cérebro feminino, mais intensa é a relação da mãe com a criança.

Para chegar a essa conclusão, o estudo, publicado no jornal Nature Neuroscience, analisou imagens de ressonância magnética de 25 mulheres antes e depois da gravidez. Essas imagens foram comparadas a de outras 20 mulheres que nunca engravidaram, 19 pais de primeira viagem e 17 homens sem filhos.

Os exames revelaram que as mulheres que já haviam passado pela experiência da gravidez tinham o volume de massa cinzenta do cérebro reduzido e as áreas mais afetadas eram aquelas relacionadas aos processos sociais — o que, para os autores, justifica a relação mais intensa com os filhos e a habilidade da mulher de se colocar no lugar dos outros.

“A perda do volume de massa cinzenta não representa algo negativo”, disse Elseline Hoekzema, pesquisadora da Leiden University, na Holanda, e uma das autoras do estudo, ao The Guardian. “Ela pode representar um positivo processo de maturidade e especialização. A maternidade ajuda o cérebro feminino a desenvolver habilidades como reconhecer as necessidades do bebê, algumas ameaças sociais e promover a conexão entre mãe e filho”.

Foto: iStock