Fumar um maço de cigarro por dia gera 150 mutações nas células do pulmão por ano

Por Patricia Machado em 07/11/2016

Diversos estudos já apontaram que fumar cigarro poderia causar sérios problemas de saúde e ser o gerador de diversos casos de câncer. Mas, até então, os cientistas não haviam conseguido provar como o fumo impactava o DNA humano. Intrigados, os pesquisadores do Wellcome Trust Sanger Institute, no Reino Unido, e do Los Alamos National Laboratory, nos Estados Unidos, resolveram comandar uma pesquisa sobre o tema.

+ Parar de fumar pode fazer bem para o fígado, segundo estudo

+ 9 mudanças de hábitos que podem ajudar na prevenção do câncer

Os resultados encontrados conseguiram, pela primeira vez, observar e quantificar as alterações moleculares causadas pelo cigarro no DNA. Fumar um maço de cigarro por dia, por exemplo, provoca, em média, 150 mutações por ano nas células do pulmão.

Além disso, o hábito também causa efeitos devastadores para outros órgãos do corpo. Foram observadas 97 mutações a mais por ano no DNA da laringe, 39 na faringe, 23 na boca, 18 na bexiga e seis nas células do fígado.

Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores examinaram mais de 5 mil tumores cancerígenos e compararam os tipos da doença que eram similares em pessoas fumantes e não fumantes. Isso permitiu que os cientistas encontrassem as estruturas modificadas do material genético, bem como o número de possíveis mutações.

A pesquisa foi publicada na revista Science.

Foto: Getty Images