Febre amarela: sintomas, causas e prevenção

Por Patricia Machado em 11/12/2017

O número de casos confirmados de febre amarela aumentou no Brasil desde o início do ano, sendo considerado o maior surto vivido pelo país desde os anos 80, segundo dados do Ministério da Saúde. A doença infecciosa é transmitida pela picada de mosquitos contaminados e, ao contrário do que muitos imaginam, não existe transmissão de uma pessoa para outra.

+ Como prevenir o câncer de próstata?

+ Câncer de pele: saiba como prevenir e fazer o autoexame

De acordo com Regia Damous, infectologista do Hospital e Maternidade São Luiz Itaim, a doença pode ser dividida em dois tipos: silvestre e urbano. O ciclo silvestre ocorre em áreas rurais e de mata. Macacos infectados pela doença são picados pelos mosquitos Haemagogus e Sabethes, que passam a carregar o vírus. Depois, acidentalmente, uma pessoa é picada e começa a desenvolver a doença.

“Já no tipo urbano, o homem é o único hospedeiro e a transmissão é feita exclusivamente pelo Aedes aegypti, mosquito vetor de outras doenças como dengue, chikungunya e zika vírus”, explica a especialista.  

Para conhecer detalhes da doença e saber como se prevenir corretamente, Regia respondeu algumas perguntas. Confira:

Quais são os sintomas da doença?

Inicialmente, o paciente tem febre, dor de cabeça e no corpo, cansaço, falta de apetite, náuseas e vômitos. É importante ressaltar que não é necessário acumular todos os sintomas. Já nas formas graves podem ocorrer coloração amarelada na pele, hemorragias e insuficiência renal. 

Qual é o ciclo da doença?

O período de incubação varia, em média, entre três e seis dias e o vírus fica no corpo humano por no máximo sete dias. Os sintomas só aparecem entre o primeiro e segundo dia após a fase de incubação.

Como prevenir a doença?

A vacina é a principal forma de prevenção. A eficácia chega a 90% e é bastante segura. Ela pode causar reações adversas, como qualquer medicamento, mas casos graves são raros. Dores no corpo e de cabeça e febre podem afetar até 5% dos imunizados.

Por quanto tempo é mantida a eficácia da vacina?

A vacina dura a vida toda. Ela começa a ser efetiva após dez dias de sua aplicação.

Quem deve se vacinar?

Crianças a partir de 9 meses e adultos até 59 anos devem se vacinar. Além disso, pessoas que moram ou vão viajar para regiões rurais ou de mata dentro das áreas de risco apontadas pelo Ministério da Saúde devem prevenir a doença.

Grávidas podem tomar a vacina?

Não. A vacina é feita com vírus vivo atenuado e é contraindicada durante a gravidez e a amamentação. Se a mulher tiver se imunizado após o nascimento do bebê, ela precisa esperar 28 dias para retornar a amamentação, pois o vírus pode ser transmitido pelo leite. 

Como as gestantes devem se proteger da febre amarela?

Ela devem usar roupas que cubram as áreas expostas, passando repelente na pele e sobre a roupa, além de evitar viajar para as regiões que têm casos da doença. 

Quando as crianças devem ser imunizadas?

A vacinação deve ser feita a partir dos 9 meses. A dose única é válida para toda a vida. No entanto, se a criança que não recebeu a vacina para febre amarela nem a tríplice viral ou tetra viral e for atualizar a situação vacinal, a orientação é receber a dose de febre amarela e agendar a proteção com a tríplice viral ou tetra viral após 30 dias. Outras vacinas em atraso podem ser administradas juntamente com a vacina de febre amarela.

Qualquer pessoa pode receber a vacina contra febre amarela?

A dose não é indicada para gestantes, mulheres amamentando crianças com até 6 meses e pessoas imunodeprimidas, como pacientes em tratamento quimioterápico, radioterápico ou com corticoides em doses elevadas. Pessoas acima de 60 anos deverão ser vacinadas somente se residirem ou forem se deslocar para áreas com transmissão ativa da febre amarela e que não tiverem alguma contraindicação para receber a vacina. Em caso de dúvida, é importante consultar o médico.

Foto: Getty Images