Fazer terapia de manhã pode ser mais eficaz, aponta pesquisa

Por Patricia Machado em 17/10/2016

Para lidar com as angústias do cotidiano, é comum que as pessoas procurem a ajuda de psicólogos e façam terapias. Uma nova pesquisa realizada nos Estados Unidos quis entender se o horário das consultas era capaz de impactar na eficácia do tratamento. De acordo com a descoberta, optar por sessões pela manhã pode ser mais efetivo.

+ Raiva e exercícios intensos elevam o risco de ataque cardíaco, aponta estudo

+ Cinco terapias alternativas que talvez você não conheça

Os cientistas das Universidades Southern Methodist e Michigan analisaram o comportamento de 24 pacientes que apresentavam distúrbios de pânico e fobia de lugares públicos. Durante três semanas, eles realizaram sessões de um tipo de tratamento chamado terapia de exposição. O objetivo era expor os pacientes a situações que causariam pânico ou medo, como edifícios altos, rodovias, elevadores e supermercados, para que, ao longo do tempo, houvesse uma diminuição do estresse e desconforto.

Os resultados revelaram que os pacientes que tiveram melhores ganhos foram aqueles que realizaram consultas pela manhã. Eles obtiveram as menores pontuações em testes que avaliavam a sensação de ameaça, comportamento de evitação e gravidade dos sintomas de pânico.

Isso aconteceu porque a manhã é o período em que o nível de cortisol está mais elevado no organismo. Esse hormônio é responsável por regular o estresse e medo, suprimir memórias angustiantes e facilitar a aprendizagem corretiva.

Apesar dos resultado obtidos, a pesquisa não tem como afirmar que a regra vale para todos os tipos de terapia. Mas, como a maioria delas procura tratar a ansiedade e facilitar o aprendizado de novas informações, é possível que consultas pela manhã também tragam melhores resultados.

O estudo foi publicado recentemente na revista científica Psychoneuroendocrinology.

Foto: Getty Images