Escrever à mão ajuda no desenvolvimento do cérebro, apontam especialistas

Por Mariana Castro em 08/09/2016

Cercadas por telas touch e teclados, as pessoas estão deixando o hábito de escrever à mão para trás e digitando cada vez mais. Preocupados com o impacto disso, principalmente para quem ainda está aprendendo a escrever, cientistas pesquisaram a relação entre a escrita e o desenvolvimento do cérebro, revelando curiosas descobertas.

+ Saiba como o uso do celular está transformando o seu corpo e cérebro

+ Marketing infantil pode ajudar as crianças a consumirem mais vegetais, revela estudo

Em um artigo publicado no The Journal of Learning Disabilitiespesquisadores disseram que escrever à mão desenvolve a mente, levando as pessoas a prestarem mais atenção na linguagem. Por demandar mais esforço e atenção, a escrita manual ainda leva quem escreve a se lembrar por mais tempo de uma informação do que se tivesse digitado.

Teaching to write

“O mito de que a escrita à mão é apenas uma habilidade motora está errado”, disse Virginia Berninger, professora de psicologia educacional na Universidade de Washington, nos Estados Unidos, ao site Well. “Nós usamos partes motoras também, mas é o giro fusiforme – região do cérebro que une imagem e linguagem – que permite transformar o que pensamos em escrita”, completou a líder do estudo.

É preciso, portanto, ver as letras para transcrevê-las no papel. Com esse exercício, é possível notar que a atividade desta parte do cérebro é diferente em crianças que têm dificuldade com a escrita.

Karin James, professora da Universidade de Indiana, também nos Estados Unidos, estudou a caligrafia de crianças que estavam aprendendo a escrever. De acordo com ela, as regiões do cérebro passaram a ser mais ativas quando elas começaram a distinguir as letras. Além disso, essa prática estimulou a habilidade de leitura dos pequenos. “As letras que elas produzem são bagunçadas e variáveis, mas isso é, na verdade, um bom sinal para o aprendizado das crianças”, explicou ela.

+ Pesquisa revela que crianças já se acham gordas e feias

A professora Virginia ainda sugere que a letra cursiva oferece vantagens nas habilidades de soletrar e de escrever redações. Isso acontece porque os traços de ligação ajudam, também, a conectar letras e palavras.

O ideal, portanto, é educar as crianças gradualmente. Primeiro ensinando a escrita à mão, para promover o melhor reconhecimento das palavras, depois, treinando a letra cursiva para melhorar a qualidade dos textos, e, só então, elas devem ser introduzidas ao universo digital.

Fotos: Getty Image