Dormir pouco aumenta o risco de câncer de mama, revela estudo

Por Patricia Machado em 25/08/2016

Além do cansaço e da irritação, dormir pouco pode contribuir para o desenvolvimento do câncer de mama. Quem trouxe essa descoberta foi uma pesquisa desenvolvida pela Michigan State University, nos Estados Unidos.

+ Ter muitos amigos faz bem para a saúde, revela estudo

+ Pesquisa revela novidades no tratamento do câncer de mama mais agressivo

O time de cientistas foi liderado pela pesquisadora brasileira Juliana Lopes. Eles queriam descobrir uma relação entre a rotina de sono e o aumento dos riscos de uma pessoa desenvolver o câncer de mama. Por isso, o ponto de partida era analisar como a doença se comportava diante da melatonina, um hormônio que é produzido no cérebro humano e que é responsável por regular o sono e promover a sensação de cansaço.

O primeiro passo do estudo foi, em laboratório, proliferar tumores cancerígenos a partir de células-tronco. O crescimento dos tumores foi feito através de processos químicos. Depois, os pesquisadores tentaram utilizar a melatonina para diminuir o tamanho dos tumores cancerígenos.

Esse procedimento deu certo e conseguiu provar que o hormônio regulador do sono poderia contribuir na prevenção do câncer de mama. Por isso, pessoas que dormem pouco acabam produzindo pouca melatonina e isso seria capaz de aumentar os riscos das pessoas desenvolverem o câncer de mama.

Foto: Getty Images