Efeito sanfona: conheça os malefícios e saiba como evitar o problema

Por Mariana Castro em 01/08/2017

A maioria das pessoas já vivenciou o famoso efeito sanfona ao tentar fazer uma dieta radical. Ele consiste na perda de peso, através de dietas, atividade física ou medicamentos, seguida da recuperação desse volume corporal em curto período de tempo. E, apesar de ter iniciado recentemente uma nova etapa de dietas e exercícios, a repórter que vos fala é uma constante vítima do temido efeito sanfona.

+ Fazer diferentes dietas com frequência contribui para o ganho de peso, diz estudo 

+ 5 dicas para não sair da dieta

Por diversos fatores – dentre eles, preciso confessar, a falta de disciplina –, eu dificilmente consigo me manter no peso ideal por muito tempo. O problema é que o ato de emagrecer rapidamente e, em seguida, começar a engordar pode gerar flacidez e estrias, além de prejudicar o metabolismo do corpo.

Por isso, conversei com especialistas para entender no que consiste esse efeito e como poderia evitá-lo. Vamos torcer para que desta vez funcione. 😉

Quais os males do efeito sanfona para o corpo?

Segundo Roberto Zatz, cirurgião plástico do Hospital e Maternidade São Luiz, as consequências dessa alteração de peso são distensão tecidual da pele, gerando flacidez e estrias, aumento volumétrico de órgãos abdominais, disfunção circulatória e sobrecarga cardiorrespiratória. Outros malefícios para o corpo são o aumento do percentual de gordura, do colesterol e dos níveis de glicerina, por exemplo.

Além dos fatores fisiológicos, o processo de perda de massa muscular, força e condicionamento respiratório também são muito nocivos para a saúde. “Com menos músculos, o metabolismo fica cada vez mais lento. Assim, a perda de peso é cada vez menor e a recuperação deste cada vez mais rápida”, explica a nutricionista Mariane Capelão.

Looking in mirror

O efeito sanfona pode gerar flacidez e estrias, além de prejudicar o metabolismo do corpo

De acordo com a especialista, pessoas que têm uma rotina alimentar saudável tendem a sofrer com esse efeito. Isso porque regimes mais rígidos, como a dieta low carb e o programa detox, não devem ser realizados por muito tempo, fazendo com que a pessoa ganhe o peso perdido ao voltar a sua rotina alimentar. “Alterações na rotina também podem levar a isso, como o início da faculdade ou de um novo trabalho, o que sugere que o efeito sanfona pode ocorrer em qualquer idade”, conta Mariane.

O processo degenerativo natural da idade tende a causar alguns processos negativos ao organismo, que podem potencializar o efeito sanfona. “As mulheres tendem a sofrer mais com esse efeito, principalmente por fatores hormonais, mas isso não quer dizer que homens estejam imunes”, conta o preparador físico Felipe Kutianski.

Como evitar o efeito sanfona?

Praticar atividade física é essencial para manter o peso e para se livrar da flacidez após a perda de gordura. Segundo o preparador físico, modalidades como musculação, crossfit e calistenia, que é uma modalidade que usa apenas o peso do corpo para desenvolver a força, são ótimas opções. “Alguns exemplos de exercícios são agachamentos, prancha isométrica, pular corda, flexão e abdominais”, conta Felipe.  O Colégio Americano de Medicina do Esporte recomenda a frequência mínima de três dias por semana, com duração de 30 minutos e intensidade moderada para que se obtenha bons resultados.

+ Comer fora de casa aumenta as chances de sair da dieta, aponta estudo 

Além disso, a alimentação é o combustível do nosso corpo e, portanto, é capaz de evitar o efeito sanfona. “Você coloca o combustível errado no seu carro? Pega um ônibus errado e, ainda assim, quer chegar no lugar certo?”, questiona a nutricionista. “Faça escolhas saudáveis a cada refeição. Assim, você estará dando o combustível certo para o seu corpo e fazendo o caminho correto, sendo a perda de peso uma consequência”, completa.

A recomendação é de que, dentre as cinco ou seis refeições diárias, pelo menos três sejam regradas. Acrescentar legumes e verduras nas principais refeições e comer devagar, por exemplo, são hábitos que precisam ser adquiridos. Evitar frituras e doces e aumentar o consumo de água podem potencializar seus resultados e manter o peso perdido.

“Lembre-se que você só pode considerar que emagreceu se mantiver a perda por, pelo menos, um ano, pois isso significará que seu corpo entendeu seu novo peso”, explica Mariane. Com todas essas informações, acho que está definida minha meta, não é mesmo? É hora de me alimentar corretamente e criar uma rotina de exercícios. Me desejem boa sorte! 🙂

Foto: Getty Images