Anvisa autoriza uso de medicamento à base de maconha para tratamento de Alzheimer

Por Patricia Machado em 17/02/2017

Uma autorização concedida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) promete mudar os tipos de tratamentos médicos no Brasil. O órgão aprovou a prescrição do medicamento RSHO™ para o tratamento de um paciente que sofre de Alzheimer. O medicamento é um óleo de cânhamo, rico em canabidiol, substância da planta da maconha, e é produzido pela empresa HempMeds® Brasil.

+ Nova droga traz esperanças para quem sofre de Alzheimer

+ Empresa brasileira quer produzir remédio à base de maconha

O principal objetivo da utilização de canabinoides é reduzir a inflamação do cérebro e o acúmulo de beta-amiloide, uma característica do Alzheimer. A eficácia da droga leva os pesquisadores a acreditar que é possível que a medicação seja o primeiro composto não-tóxico externo a mostrar potencial para o tratamento da doença.

De acordo com o relatório World Alzheimer 2016 da Alzheimer’s Disease World, existem cerca de 46,8 milhões de pessoas que sofrem com a doença no mundo. A expectativa é que esse número aumente para 131,5 milhões até 2050.

Além dessa novidade, a Anvisa também permitiu a importação suplementos à base de cannabis para o tratamento de casos de epilepsia refratária, mal de Parkinson, dor crônica, transtorno de estresse pós-traumático, déficit de atenção, hiperatividade, autismo, esclerose múltipla e dores provenientes do câncer.

Foto: Getty Images / Com informações da Veja