Saúde e Bem-Estar

Alimentos que já foram considerados vilões da saúde e hoje são aliados de muitas dietas

Alimentos que já foram considerados vilões da saúde e hoje são aliados de muitas dietas

Muitos alimentos que já foram considerados vilões da saúde, hoje são vistos como mocinhos em inúmeras dietas. Segundo a nutricionista e fitoterapeuta Vanderli Marchiori, formada pela faculdade São Camilo e pelo Manchester Institute, isto se deve ao fato de que as pesquisas sobre ação de fitoquímicos e nutrientes avançaram bastante no últimos dez anos.

+ Entenda o que está por trás da vontade de comer doce

Hoje, sabe-se que o equilíbrio é a base de tudo e que o consumo exagerado de qualquer alimento pode ser prejudicial. Mas afinal, quais são os grandes vilões que agora viraram mocinhos? Confira a lista feita pela especialista:

Amendoim

amendoim

Crédito: Pixabay

O excesso de peso da população sempre foi justificado pelo consumo de certos alimentos. Os amendoins, por exemplo, entraram nesta lista por serem considerados os causadores de obesidade devido ao seu alto valor calórico. No passado, acreditava-se também que os amendoins estavam todos contaminados por fungos.

+ Nutricionista lista os benefícios das combinações de alimentos tradicionais na mesa dos brasileiros

A grande verdade já comprovada é que, pelo menos há dez anos, a Fundação Pró-Amendoim acompanha produtores e atesta a ausência de aflatoxinas, o garante sua segurança. Já em relação ao peso, um estudo em especial constata que o consumo regular de amendoins mostrou-se eficaz no tratamento de obesidade e sobrepeso, bem como na redução de risco de doenças neurológicas e de alguns tipos de tumor. O grupo que consumiu 30g de amendoins no fim da tarde reduziu não só o peso corporal como a gordura abdominal.

É uma excelente notícia, pois a redução de gordura é sempre acompanhada por menores taxas de colesterol e de todas as gorduras corporais.

Glúten e Lactose

Baking supplies

Crédito: Thinkstock

 

O glúten e a lactose são considerados os dois vilões mais recentes da dieta. O glúten é a proteína presente no trigo, centeio e cevada. A lactose é o açúcar presente no leite de vaca. Atribui-se a estes dois nutrientes a grande capacidade de serem os responsáveis pela epidemia de obesidade. A verdade é que estes alimentos só são vilões para quem tem alguma doença associada ao seu consumo, como a doença celíaca ou a intolerância à lactose.

+ 5 alimentos que podem arruinar a dieta e sabotar a perda de peso

Fora destes grupos específicos, o consumo não só é seguro como bastante recomendado, pois o trigo é a melhor fonte de triptofano, que é um aminoácido importantíssimo para a melhora de humor e depressão. Já o leite de vaca é uma excelente fonte de proteínas e cálcio.

Ovo

ovo

Crédito: Pixabay

 

Se no passado todos os profissionais de saúde controlavam o consumo do ovo, pois cada gema era vista como uma ameaça ao colesterol, hoje já é fato que o consumo moderado de ovos, dentro de uma conduta equilibrada, não aumenta o colesterol e  melhora significativamente o cérebro, além de reduzir o apetite.

Abacate

abacate

Crédito: Pixabay

 

O abacate ainda é encarado como vilão por algumas pessoas, pois seu valor calórico é superior ao de várias outras frutas e rico em gorduras. Embora bastante calórico, estas gorduras são importantíssimas para a melhora do funcionamento cerebral, do sono e do sistema imunológico e, além disso, combatem a gordura abdominal.

+ Alimentos que ajudam a reduzir a gordura abdominal

Chocolate

chocolate

Crédito: Pixabay

O chocolate talvez seja o alimento mais odiado e evitado de todos os tempos. A imagem anterior era de um alimento rico em calorias que só faziam engordar. Atualmente, há centenas de estudos que comprovam que o cacau presente nos chocolates é fundamental para redução de apetite e do peso, além de melhorar a glicemia, atenção e disposição cerebral. Além disso, o chocolate é um alimento antioxidante, que por si só já ajuda na redução de riscos de doenças. Mas atenção: não estamos falando do chocolate ao leite, rico em açúcares, mas daqueles mais amargos e com alta porcentagem de cacau.

Saúde e Bem-Estar

Mais em Saúde e Bem-Estar

Woman measuring her waist

Gene encontrado em verme pode ajudar a combater a obesidade, aponta estudo

Mariana Castro20/02/2017
Marijuana bud

Anvisa autoriza uso de medicamento à base de maconha para tratamento de Alzheimer

Patricia Machado17/02/2017
Doctor's and patient's hand

Câncer é a principal causa de morte por doença entre pessoas de 15 e 29 anos, diz estudo

Patricia Machado15/02/2017
idoso cartao de natal - imagem 3 - reproducao

Idoso com demência recebe cartões no dia dos namorados de pessoas desconhecidas

Mariana Castro14/02/2017
Noisy Nursery Lesson

Ruído nas escolas pode acarretar danos à audição de alunos e professores

Redação Apontador14/02/2017
Measuring fatty abdominal

Dormir menos de 7 horas por dia engorda, garante estudo

Patricia Machado13/02/2017
Alcohol cleaning gel

Anvisa suspende lote de gel antisséptico

Mariana Castro13/02/2017
girl in the forest uses the spray against mosquitoes

Oito produtos que podem perder o efeito ou fazer mal à saúde após o prazo de validade

Redação Apontador13/02/2017
Father and son future

Poupatempo ajuda no reconhecimento de parternidade

Mariana Castro13/02/2017
Audience with hands in the air at a music festival

Pesquisa descobre que música, sexo e drogas ativam as mesmas substâncias no cérebro

Mariana Castro10/02/2017
cadeira de rodas - divulgacao

Tecnologia permite que cadeiras de rodas sejam guiadas por expressões faciais

Patricia Machado10/02/2017
Beautiful pregnant business woman

Carregar peso e trabalhar à noite pode influenciar a fertilidade, diz pesquisa

Mariana Castro10/02/2017
Smiling woman in a shower

Cinco objetos extremamente sujos que tocamos diariamente

Patricia Machado09/02/2017
cooked rice

O modo como você cozinha o arroz pode ser perigoso para a saúde, revela pesquisa

Mariana Castro09/02/2017
Red and white pills coming out of bottle on Caucasian hand

Ibuprofeno não é tão eficaz para dores e pode gerar efeitos colaterais, diz estudo

Mariana Castro08/02/2017