Vulcões ativos para conhecer

Por em 24/06/2015

Alguma vez na vida, na hora de decidir o destino para uma viagem, já passou pela sua cabeça incluir no roteiro um vulcão? Embora a ideia pareça surreal, existem muitos vulcões ativos espalhados pelo mundo e que se tornaram disputadas atrações turísticas.

Eles são uma das provas da constante mudança do nosso planeta: um dia estão dormindo tranquilamente e, no outro, podem acordar sem aviso prévio e destruir tudo ao seu redor. Ainda assim, existem muitas cidades e pessoas vivendo próximo deles.

Você tem um perfil aventureiro ou simplesmente ficou curioso com a possibilidade de conhecer de perto uma das criações mais fascinantes e assustadoras da natureza? Então confira uma lista de vulcões em atividade que você pode visitar e inclua o destino em sua próxima viagem:

BROMO – INDONÉSIA

monte bromo

Localizado no meio do Bromo Tengger Semeru National Park, ele pode ser visitado a partir da Java Oriental (Província Indonésia). Existem vários tours que levam até o monte e depois te deixam em Bali, mas eles exigem no mínimo duas pessoas. O local costuma encher de turistas e é possível subir a pé até o topo do vulcão para ver o nascer ou ou pôr-do-sol.

ESTRÔMBOLI – ITÁLIA

stromboli1
Composta por um dos vulcões mais ativos da Europa, a ilha italiana de Estrômboli está situada no mar Tirreno. Apesar de ter várias erupções durante o ano, elas raramente fazem vítimas. A última fatalidade aconteceu em 2003.

A chegada ao vulcão se dá através do porto Scari. Lá, você já começa a notar os fragmentos minerais de origem vulcânica, como as pedrinhas de obsidiana e a areia preta.

stromboli

O grau de dificuldade para escalar o Estrômboli é médio-alto e é necessário possuir o equipamento adequado, como calçados próprios para trekking e torchas. Apesar das lojas na ilha alugarem esse tipo de material, a excursão até a cratera só é permitida na companhia de guias autorizados. O percurso leva três horas para a subida e duas para a descida, o que exige um certo preparo físico. As melhores épocas para visita são entre junho e setembro, quando o mar está mais calmo e não há risco de não chegar até a ilha.

ETNA – ITÁLIA

etna

O vulcão, três vezes maior que o Vesúvio, fica na cidade de Catânia, na região da Sicília, e possui um milhão de habitantes ao seu redor. É preciso se informar em agências oficiais de turismo sobre as condições de visita, mas na maioria das vezes é possível chegar até o vulcão tanto com excursões, como por conta própria (o que é um pouco mais arriscado e cansativo). No inverno, os mais corajosos podem se aventurar a esquiar no vulcão e, no verão, escalá-lo.

FUJI – JAPÃO

monte fuji

A última erupção de um dos vulcões mais famosos do Japão aconteceu em 1707. Hoje, é possível ir até o pé do Fuji e, dependendo do seu grau de coragem, até mesmo escalá-lo. Aliás, cerca de 200 mil pessoas escalam o vulcão todos os anos, mesmo sabendo que ele está ativo.

KILAUEA – HAVAÍ

kilauea1

Localizado no Parque Nacional de Vulcões do Havaí, em Big Island, o Kilauea é outro dos vulcões mais ativos no mundo. O melhor horário para as visitas é a parte da manhã. Além da cratera do vulcão, é possível visitar um antigo tubo de lava, por onde a lava escaldante costumava passar. Sua última erupção aconteceu em 2011.

MADERAS – NICARÁGUA

maderas lake

Embora seja o menor dos vulcões do país, o Maderas é o mais visitado. Fica ao lado de outro vulcão, o Concepcíon. Em seu roteiro turístico é possível visitar a cratera, onde observa-se um lago de águas ácidas. O passeio pode chegar a nove horas de duração e é recomendado contratar um guia ou agência na ilha. O vulcão é ativo, mas a atividade mais recente remonta de mais de 3000 anos.

MISTI – PERU

misti

Um dos principais destinos do Peru, Arequipa fica à sombra de um vulcão chamado Misti. Apesar de ativo, os turistas costumam praticar trekking nele. Para tal aventura, é preciso evitar o período de chuvas na região e, claro, procurar uma agência local para garantir a segurança da aventura.

OSORNO – CHILE

osorno1

O vulcão, que é um dos maiores símbolos da Patagônia Chilena, fica na cidade de mesmo nome. Sua última erupção aconteceu em 1869. Atualmente, é uma das maiores atrações turísticas no inverno, emoldurando pistas de esqui, além de esportes de aventura, como escalada e trilhas. É possível passar pelo vulcão em um teleférico (onde funciona a base da estação de ski) ou subi-lo a pé.

PELÉE – MARTINICA

pelée1

A pequena cidade de Saint Pierre já foi devastada por uma erupção do Monte Pelée em um passado não tão distante: no ano de 1902. O vulcão é uma das principais atrações turísticas de Martinica, localizada no Caribe.

Atualmente, a região do vulcão é monitorada para checar atividades sísmicas e existem diversas agências que realizam excursões para percorrer suas paredes vulcânicas até à cratera. O trajeto até o alto dos 1.397 metros é puxado, mas bem sinalizado, e leva de duas a três horas para ser concluído. Do alto, além da cratera do vulcão, é possível observar o Mar do Caribe.

POÁS – COSTA RICA

Tourists Admire The Very Active Crater Of The Poas Volcano, Costa Rica

Um dos vulcões mais visitados da Costa Rica, o Poás é uma das maiores crateras ativas do mundo, com mais de 1,5km de largura e 300 metros de profundidade. Ao seu redor, tudo é cinza e há um lago feito de água ácida. Ainda assim é possível visitá-lo: ele fica dentro do Parque Nacional Vulcão Poás, a mais ou menos 1h30 (de carro) da cidade de San José. Os registros mais recentes de pequenas erupções foram feitos em 2006 e 2011. Para ter uma visão melhor do vulcão, é recomendado chegar cedo e evitar finais de semana, já que este é um dos vulcões mais procurados da região.

POPOCATÉPETL – MÉXICO

popocatepetl

A última erupção do Popocatépetl aconteceu em 1994, depois de meio século adormecido. Apesar de estar ativo nos dias de hoje, diversas agências oferecem excursões com longas caminhadas para vê-lo de muito perto.

VILLARICA – CHILE

villarica

Situado na cordilheira dos Andes, o vulcão Villarica fica dentro do parque nacional de mesmo nome. Apesar de sua última erupção acontecer em março de 2015, o turismo é algo comum no local. No verão, agências da cidade de Pucón oferecem serviços de guia e aluguel de equipamentos para escalada. A subida, embora seja cansativa, não tem grande grau de dificuldade. É uma caminhada íngreme, porém, há trechos bem escorregadios.