Como escolher o papel de parede certo para sua casa

Por Giovanna Victor em 18/09/2018

O papel de parede é um item decorativo que foi bastante utilizado em propostas de ambientações de casas e palácios requintados. No século XX, principalmente após as duas Grandes Guerras, tudo que era supérfluo nos interiores caiu em desuso. Demorou para que eles voltassem a fazer parte da moda para residências. 

O papel de parede é um elemento curinga na decoração, causando efeitos visuais surpreendentes. Um espaço pequeno pode parecer maior e um com grandes dimensões fica mais aconchegante. Vale a pena testar as possibilidades e deixar a sua casa de cara nova.

Pensando nisso, o blog Viva Decora reuniu dicas para você escolher o papel de parede que mais combina com o seu estilo. Confira:

Papel de parede na decoração de interiores

Não existem regras ou fórmulas mágicas para decorar uma casa. Por isso mesmo é que o papel de parede pode ser o ponto de partida para todo o projeto. Versátil, ele pode ser utilizado em todos os ambientes, da sala de estar ao banheiro.

+ Pastilhas adesivas: saiba onde utilizar e como aplicar

+ Porta de correr: sofisticação aliada à otimização de espaços

Em comparação com as tintas e as massas de textura, os papéis de parede até que são bem simples e rápidos de serem aplicados. Não exigem reformas e nem fazem bagunça na casa. E não há a necessidade de mão-de-obra especializada – a não ser que a arte seja muito complexa -, você mesmo pode fazer o serviço – inclusive de manutenção. Então, eles ganham tanto em praticidade quanto em custo-benefício.

Foto: Idália Daudt

Como escolher o papel de parede ideal para a sua casa

Fase Um | Materiais

Há infinitas opções de papéis de parede no mercado, com estilos, cores e desenhos diferentes. O primeiro passo para fazer a escolha certa é verificar as características do local onde o material será instalado, pois existe um tipo adequado para cada situação.

Normalmente, o papel de parede é vendido em rolos. Existem aqueles feitos em PVC, mais duráveis e fáceis de limpar – ideal para cozinhas e banheiros. Os feitos em TNT – à base de celulose e poliéster -, bons para ambientes mais secos. E os tradicionais – a partir de celulose -, que são bem como as folhas de papel comum. Estes são ideais apenas para ambientes sem umidade e sem excesso de luz solar.

Foto: Claudia Comparin

Fase Dois | Efeitos Visuais

A escolha da estampa do papel de parede é quase tão importante quanto à escolha do material. Deve se levar em consideração o que já existe no ambiente. É essencial pensar se o desenho, cor e brilho do papel vai combinar com as características do cômodo, com os móveis, com as cores das outras paredes e até com os objetos decorativos.

Foto: Renata Basques

Se tudo que há no espaço tem tom forte, talvez seja melhor escolher um papel mais neutro. Cores claras e estampas pequenas dão sensação de leveza, claridade e amplitude. Agora, papéis com desenhos de escala maior, cores fortes e escuras ficam melhores em ambientes neutros, sem muita informação. Eles trazem um clima de aconchego e acolhimento para as pessoas. Equilíbrio é a palavra-chave!

Foto: Sandra Pompermayer

Para pés-direitos baixos, estampas em sentido vertical é a melhor solução. Listras na horizontal alongam os ambientes para os lados ou, no caso dos borders, ajudam a dividir uma grande altura. Esse jogo pode ser feito em todas as superfícies ou em uma única, como um destaque na decoração. Alguns projetistas colocam, em alguns casos, papéis nos tetos. Tudo vai depender da proposta.

Foto: Amis Arquitetura & Design

Fase Três | Estilo

Dos padrões mais clássicos aos inovadores desenhos 3D, vê-se de tudo quando se trata de papéis de parede. Há aqueles que imitam outros materiais, os que trazem ícones de edifícios famosos e até lembram traços e formas de folhas, flores e frutos. São tantas opções, como escolher apenas uma? Conhecendo o estilo da decoração, móveis e objetos já existentes e as condições da parede, a decisão fica mais fácil.

Para os banheiros e cozinhas, uma opção que está na moda é o papel de parede que imita azulejo. Cores quentes deixam a área dos alimentos mais alegre. No caso dos banheiros, o melhor são os papéis menos escuros ou com estampas grandes, já que o ambiente costuma ser menor. E, em ambos os casos, o material tem de ser resistente ao vapor e de fácil limpeza.

Foto: Idealizzare Arquitetos

Para os dormitórios e salas de estar o projetista pode ousar mais. Nesses locais, é permitido usar papéis aveludados, em alto-relevo ou com formas geométricas inusitadas. Nada disso fica feio! E os modelos listrados ou em arabesco são indicados para dormitórios – principalmente os em acabamento liso, que acumulam menos poeira.

Foto: Andrea Teixeira & Fernanda Negrelli

Nos quartos de adultos os revestimentos modernos combinam mais. Papéis de parede de cores neutras, combinando com a tonalidade e linhas das colchas e almofadas da cama, é a melhor opção. Agora, em um quarto de criança, os modelos tradicionais têm estampas mais chamativas, divertidas e coloridas. 

Foto: Patricia Kolanian Pasquini

Por Viva Decora