Ser solitário aumenta em 29% as chances de ter um infarto, diz pesquisa

Por Pedro Katchborian em 24/04/2016

Um novo estudo publicado no jornal Heart revelou que pessoas solitárias têm mais riscos de sofrer um infarto ou um AVC.

+ Trabalhar demais é ruim para a saúde e aumenta o risco de derrame, diz estudo

Liderado por Nicole Valtora, da Universidade de York, no Reino Unido, um grupo de pesquisadores analisou a solidão em várias publicações científicas e outros estudos que envolviam 181 mil pessoas saudáveis. Eles descobriram que a solidão estava relacionada a um aumento de 29% no risco de doenças cardíacas e 32% no risco de um AVC. Isso torna a solidão tão perigosa para um problema cardiovascular quanto a ansiedade ou a tensão no trabalho.

Segundo Valtorna, a solidão afeta muito o comportamento e o estilo de vida da pessoa e aumenta o risco de doenças cardiovasculares por três diferentes motivos. O primeiro deles são os hábitos: pessoas solitárias ou isoladas tendem a não fazer atividades físicas, não ir ao médico, são menos propensas a comer bem, têm mais taxas de obesidade e fumam mais. O outro motivo é biológico, já que a solidão pode afetar o sistema imunológico da pessoa. Também há a razão psicológica, já que pessoas sozinhas têm mais tendência a desenvolver ansiedade e depressão.

A pesquisadora agora está trabalhando em um estudo para descobrir qual dessas razões ligadas à solidão pode ser mais prejudicial à saúde. Outra prova de que o estudo tem fundamento é que o contrário também acontece: pessoas que cultivam fortes relações costumam ter um coração mais saudável. Inclusive, ter amigos pode ser tão bom quanto fazer exercícios.