Preocupações consomem quase 5 anos de vida, diz pesquisa

Por Patricia Machado em 26/08/2015

Com tanta correria, deveres e trabalho acumulado em casa e no escritório, é praticamente impossível encontrar alguém que não tenha nenhuma preocupação, não é mesmo? De acordo com uma pesquisa comandada pela companhia Rescue Remedy, as preocupações do dia a dia consomem quase cinco anos de vida de um ser humano.

+ Coisas que você deve fazer antes dos 25 anos para não se preocupar com dinheiro mais tarde

+ Cinco coisas que todo milionário faz

O estudo conduzido no Reino Unido analisou as frustrações e preocupações de dois mil britânicos. O resultado mostrou que uma pessoa se preocupa por aproximadamente 1h50 todos os dias. Isso significa que o ser humano passa cerca de 12h53 por semana — o equivalente a quatro anos e 11 meses, imaginando que a idade média do adulto é de 64 anos –, usando o seu tempo para refletir sobre as suas preocupações.

Em entrevista ao jornal britânico Daily Mail, um porta-voz da Rescue Remedy disse que “se preocupar é natural e quase todo ser humano perde alguns momentos da vida se ocupando com as preocupação, mas é alarmante quando vemos o tempo que gastamos com esse hábito”.

+ Cinco dicas para vencer a timidez

A pesquisa revelou também que 84% dos entrevistados perde o sono por causa das preocupações do dia a dia. Mas essa não é a única consequência de estar sempre preocupado. Seis em cada dez britânicos sofreram problemas de saúde por causa das preocupações diárias e todos os participantes do projeto admitiram que as inquietações já provocaram discussões com familiares, amigos e namorados e até destruíram relações.

Dentre as principais causas de preocupação estão o trabalho, problemas financeiros, medo de estar atrasado para algum compromisso, doenças em parentes queridos, relacionamento e medo de perder o voo, trem ou ônibus.

“Aprender a lidar com as preocupações é importante e ajuda as pessoas a ganharem mais tempo ao aproveitar melhor a vida sem se preocupar se as coisas darão errado”, disse o porta-voz da Rescue Remedy ao jornal britânico.

Via Daily Mail / Foto: Pixabay