Perder peso é mais difícil hoje do que há 30 anos, diz pesquisa

Por Patricia Machado em 27/10/2015

“Faço dieta e não emagreço”, “Vou à academia todos os dias e não vejo resultado”, “A balança só pode estar mentindo…”. Essas frases são comuns para quem luta contra a balança. Para eles, a dieta parece um bicho de sete cabeças.

+ 10 passos para entrar em forma até o verão

+ Alimentos que ajudam a reduzir a gordura abdominal

Aliado a isso é comum pensar que na época dos nossos pais ou avós era muito mais fácil emagrecer. Afinal, eles não precisavam comer em restaurantes por quilo na hora do almoço, tinham tempo para cozinhar e não viviam tão estressados como as novas gerações.

Essa conclusão tem um fundo de verdade. Segundo uma pesquisa desenvolvida pela Universidade de York, no Canadá, é mais difícil para um adulto manter o peso hoje do que há 30 anos.

+ Apps para emagrecer e entrar em forma

Os autores do projeto analisaram a dieta de 36.400 norte-americanos entre 1971 e 2008 e a rotina de atividade física praticada por 14.419 pessoas entre 1988 e 2006. Após a análise dos dados, os pesquisadores concluíram que uma pessoa em 2006, que ingerisse o mesmo número de calorias e nutrientes e que se exercitasse da mesma maneira que uma pessoa com a mesma idade em 1988, teria um IMC (índice de massa corpórea) até 2,3 pontos maior.

Isso significa que os adultos de hoje são 10% mais pesados que as pessoas que viviam nos anos 80, mesmo se eles se alimentarem com a mesma quantidade de nutrientes e praticarem os mesmos exercícios.

“O estudo sugere que uma pessoa de 25 anos precisaria comer menos e se exercitar muito mais do que aqueles que viveram na década de 80 para evitar o ganho de peso”, disse Jennifer Kuk, professora da Universidade de York.

Em entrevista à revista The Atlantic, Jennifer Kuk listou alguns motivos que podem ter causado o aumento de peso nos últimos 30 anos e que dificultam o emagrecimento. Dê uma olhada:

  • Componentes químicos

A pessoas estão mais expostas a substâncias químicas que podem facilitar o aumento de peso. Pesticidas, conservantes e outras substâncias presentes em alimentos industrializados alteram os processos hormonais e introduzem o corpo a uma nova maneira de manter e ganhar peso.

  • Uso de medicamentos

O número de prescrições médicas aumentou drasticamente quando comparado com os hábitos médicos dos anos 80. Nos Estados Unidos, antidepressivos lideram o ranking de medicamentos mais prescritos e estão diretamente ligados ao ganho de peso.

  • Hormônios e antibióticos

Os autores do estudo acreditam que os hormônios e antibióticos usados em animais, que posteriormente servem para a fabricação dos alimentos, podem estar mudando as bactérias que habitam o intestino humano. Isso tornaria as pessoas mais propensas à obesidade.