Dicas para estudar no exterior em tempos de crise

Por Patricia Machado em 15/10/2015

A crise financeira do país e a crescente valorização das moedas internacionais podem desanimar aqueles que ainda sonham em estudar no exterior.

+ Conheça os países mais baratos para viajar

+ Quinze aplicativos essenciais na hora de viajar

Segundo a Agência Brasileira de Viagens (Abav), que acompanha o desempenho das vendas de pacotes turísticos em todo o país, 700 mil brasileiros devem desistir de viajar para o exterior este ano por causa do aumento dos preços. Isso representa uma diminuição de 10% no número de embarques internacionais.

Mas estudar no exterior é uma oportunidade única. Quem realiza essa experiência pode aproveitar a chance para investir na carreira e buscar uma melhor qualificação profissional. Além disso, a vivência internacional proporciona boas histórias e a fluência em um outro idioma é um ponto altamente positivo.

A boa notícia é que mesmo em tempos de crise é possível sonhar com o intercâmbio. Reunimos algumas dicas para você conseguir viajar e estudar no exterior mesmo em tempos de vacas magras. Dê só uma olhada:

  • Concorra a bolsas de estudos

Quem quer estudar no exterior precisa deixar a preguiça de lado e pesquisar as bolsas de estudos disponíveis para alunos internacionais. Em alguns países, há bolsas exclusivas para alunos brasileiros. A Orange Tulip Scholarship Brazil, por exemplo, é dedicada a brasileiros que desejam estudar na Holanda. O programa pode cobrir 50% ou 100% do valor preço do curso. Para concorrer a uma bolsa de estudos é preciso verificar os documentos solicitados. Em muitos casos, será necessário pedir a ajuda de um tradutor juramentado para traduzir os papéis.

+ Livros para quem gosta de viajar

  • Fuja das capitais e grandes cidades

Escolher cidades menores para morar é uma maneira de viajar para o exterior gastando menos. Para te ajudar nessa pesquisa, os sites Expatistan e Numbeo reúnem informações sobre o custo de vida em em diversas cidades do mundo. Através de dados detalhados, é possível descobrir quanto você irá gastar com aluguel, comida e transporte, por exemplo.

  • Planeje a sua viagem com antecedência

A dica já é conhecida, mas continua sendo válida. Para evitar contratempos, planeje a sua viagem com antecedência e comece a guardar dinheiro para isso o quanto antes. Caso a viagem seja organizada por uma agência de turismo, procure parcelar os gastos para não ficar sem dinheiro perto da viagem.

  • Escolha destinos diferentes

Outra dica para quem quer estudar no exterior e gastar pouco é fugir dos lugares comuns. Ao escolher o destino do passeio, procure lugares mais econômicos como a Irlanda, Canadá, Espanha e Portugal. Esses destinos possuem boas escolas e universidades e oferecem cursos mais baratos. Além disso, vale a pena lembrar que também é possível estudar na América Latina. O site Universia tem um guia com boas escolas para estrangeiros.

+ Destinos para viajar e praticar esportes radicais no Brasil

  • Escolha países que fornecem visto de trabalho

Alguns países permitem que estudantes estrangeiros trabalhem por meio período ou período integral durante a viagem. Para fazer uma viagem econômica, escolha um destino em que o seu visto lhe permita trabalhar. Mas não se esqueça de o foco da sua viagem é estudar. Por isso, procure escolher empregos que tenham uma carga horária compatível com o seu curso.

  • Pense em fazer cursos rápidos

Uma viagem mais curta não significa que ela será menos proveitosa ou importante. Quem quer gastar pouco pode optar por fazer cursos rápidos, conhecidos como short courses, no exterior.

  • Aproveite as promoções aéreas

Para gastar menos, aproveite as promoções de passagens aéreas, uma vez que a viagem já está planejada. Saiba como economizar na compra de passagens aéreas clicando aqui.

Foto: The University of Melbourne