Coisas que você deve fazer antes dos 25 anos para não se preocupar com dinheiro mais tarde

Por em 24/08/2015

Mesmo que a matemática não seja seu forte, é importante descobrir exatamente quanto você anda gastando. Os problemas de gastos mais comuns podem ser causados ​​por uma casa que é muito grande, um carro que é muito luxuoso ou até um cartão de crédito muito generoso para o seu rendimento.

+ Oito dicas para quem deseja se tornar um milionário

Para não se preocupar com essas questões no futuro, é importante adotar novos hábitos agora mesmo. Afinal, quanto mais cedo você tiver noção do que precisa fazer, mais rápido terá recursos para viver tranquilo. Confira uma lista elaborada pela CNN Money com sete passos certeiros para alcançar essa meta:

Analise os gastos que tem hoje

É preciso saber o destino de cada centavo que sai do seu bolso. Primeiro, some toda a sua renda e, em seguida, subtraia pelas suas despesas. Se você não se considera disciplinado o suficiente para anotar cada uma de suas compras, vale esquecer o dinheiro e tentar usar apenas os cartões de débito e crédito durante um tempo. Assim, você pode consultar mais tarde os registros. Mas tenha uma coisa em mente: as pessoas tendem a gastar mais quando passam o cartão!

Se após este procedimento o resultado do seu cálculo for positivo, considere colocar a diferença em uma poupança. Agora, se está gastando mais do que recebendo, é hora de rever seus gastos e fazer cortes.

Comece a guardar 20% da sua renda

Para Tana Gildea, planejadora financeira e autora do The Graduate’s Guide to Money, essa é uma parcela aceitável. Metade deve ir para o que ela chama de “fundo de liberdade de curto prazo” e o restante para “objetivos de longo prazo”. O fundo de liberdade torna despesas inesperadas mais gerenciáveis. Se 20% parece muito, comece com menos e vá aumentando aos poucos.

+ Jovens estão ficando cada vez mais pobres, conclui pesquisa

Entenda sua relação com o dinheiro

Não importa se você é um consumista ou mão de vaca. Para melhorar seu orçamento, é preciso entender o que impulsiona suas decisões financeiras. Segundo Tana, sua relação com o dinheiro, muitas vezes, resulta da educação que teve na infância. “Você precisa saber quais suas âncoras emocionais e o que poderia dificultar sua capacidade de tomar boas decisões”, diz.

Tome conta da sua saúde

É tentador evitar consultas médicas quando se é jovem, saudável e não se tem dinheiro sobrando. Porém, o plano de saúde não é uma despesa que deveria ser cortada. O importante é escolher com atenção. Alguns planos, permitem que os jovens estejam no convênio dos pais enquanto estiverem estudando. E, em outros casos, as empresas podem oferecer planos de convênio coletivo. Analise todas as possibilidades, pacotes e encontre o que atenda melhor as suas necessidades. Afinal, não tem por que ficar pagando por um plano com uma cobertura muito além da que você precisa, mas isso é algo indispensável.

Tenha suas despesas da faculdade sob controle

Serve para tanto para quem ainda está estudando como para aqueles que pagam mensalidades do Fies, por exemplo. Descubra quais são as suas opções e compare implicações de longo prazo de diferentes planos. Por exemplo, estender sua dívida com a faculdade pode reduzir os pagamentos mensais, porém, você vai acabar pagando mais em juros.

+ Conheça as dez pessoas mais ricas do Brasil

Comece a poupar para a aposentadoria

Embora a aposentadoria esteja a décadas de distância, quanto antes você começar a poupar, melhor. Justamente porque ainda resta muito tempo. Pequenas quantidades de dinheiro mensalmente podem virar grandes somas quando você chegar na casa dos 60 anos.

Defina seus objetivos e quanto dinheiro será preciso para realizá-los

Se você sabe o que quer (um carro, um apartamento ou fazer a viagem dos sonhos) e quanto isso vai custar, trabalhará com mais motivação para atingir suas metas. Lembre-se: um bom treino é começar com objetivos de menor valor, como um celular ou um tênis novo.