Dar ou não mesada para as crianças?

Por Mariana Castro em 01/02/2018

Dar ou não mesada aos filhos é um debate antigo entre os pais, que se perguntam porquê dar, quando começar e como estabelecer o valor. A volta às aulas é um excelente momento para começar e pode até gerar economia nas contas da família. Ao contrário do que muitos pensam, a mesada não é um incentivo ao consumo, mas uma forma de educar financeiramente as crianças.

A infância é a fase ideal para desenvolver comportamentos que serão levados por toda a vida. Por isso, implantar a mesada é importante quando notar que a criança está pedindo dinheiro com frequência e já mostra ter seus primeiros hábitos de consumo. Normalmente, os gastos de crianças e jovens são durante a rotina escolar, com alimentação, por exemplo.

+ Oito dicas para identificar uma criança consumista

+ Como ensinar as crianças a guardar dinheiro

Sendo orientadas para usar o dinheiro de forma sustentável e poupar parte dele para realizar seus sonhos no futuro, as crianças se tornam menos consumistas e mais conscientes. “Muitos pais acreditam que não dão mesada, mas dão pequenas quantias constantemente aos filhos, de forma não sistematizada”, explica Reinaldo Domingos, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin).

Segundo o especialista, isso caracteriza a mesada voluntária. Existem ainda outras formas de mesada, como a financeira e a econômica. O objetivo delas é priorizar os sonhos da criança e da família. “O ideal é que elas tenham pelo menos três sonhos: um a ser realizado em curto prazo (em até um mês), outro de médio prazo (entre três e seis meses) e outro de longo prazo (após seis meses)”, indica Reinaldo.

Mesada financeira

A mesada financeira é dada para a criança aprender a administrar o dinheiro que ganha. Trata-se de um valor fixo determinado pelos pais ou responsáveis, tendo em vista a necessidade de transição da mesada voluntária para a mesada financeira. Nesse momento, é recomendado que 50% do valor seja destinado para a poupança dos sonhos e 50% para as despesas da criança, sempre lembrando que o dinheiro nunca será mais importante que os sonhos.

Mesada econômica

Na mesada econômica, os pequenos são incentivados a poupar recursos em casa, como energia elétrica e água, para que realizem seus sonhos com o valor economizado. Assim, mesmo a família que não tem condições de dar mesada em dinheiro, pode educar financeiramente seus filhos com as economias feitas no lar a cada mês. Dessa forma, as crianças aprendem que economizar recursos é um dos caminhos para realizar seus sonhos.

Foto: Getty Images