Como fazer um bom currículo?

Por Mariana Castro em 16/03/2018

O primeiro passo para procurar um emprego é montar o seu currículo. Ele será seu primeiro contato com a empresa e funciona, basicamente, como um cartão de visita – exceto pelo fato de ser fundamental para sua carreira profissional. Sem pressão! 😀

Pensando nisso, conversamos com a Amanda Marques, coordenadora de RH da LBS Local, a fim de desenvolver um guia para fazer um bom currículo. Afinal, quando uma empresa está recrutando candidatos para uma vaga, é comum que haja um grande número de interessados.

+ Dicas e lugares para procurar emprego ou estágio

+ Seis atitudes que podem prejudicar a sua carreira

Mesmo contendo suas informações de forma resumida, é preciso fazer com que seu currículo se destaque dentre os outros. “Além de ser claro e objetivo em suas descrições, um currículo ganha destaque quando apresenta resultados atingidos e superados”, conta Amanda.

Segundo ela, é fundamental ser verdadeiro e transparente. “É comum que profissionais coloquem datas que não condizem com a realidade e qualificações inexistentes, como o nível de inglês, por exemplo”, relata ela. “Não cometa esse erro, pois o recrutador vai questionar e perceber que as informações não batem”, aconselha.

Como estruturar um bom currículo?

A estrutura do seu currículo vai depender muito da área de atuação e para qual empresa você vai direcionar. “Empresas e áreas mais tradicionais, exigem currículos tradicionais”, explica Amanda. “Já agências de publicidade, vagas para design, startups e empresas de inovação são mais flexíveis. Nesses casos, um currículo mais criativo pode ser um diferencial”, completa ela.

Em ambos os casos, algumas informações são indispensáveis. A recomendação da especialista é organizá-las em grupos, seguindo os seguintes tópicos:

  • Dados pessoais: nome completo, idade, telefone e e-mail para contato.
  • Qualificações: redija um resumo ou introdução profissional contendo suas qualificações.
  • Formação acadêmica: caso tenha formação técnica, é importante mencionar. Se a formação for curso superior, o ensino médio não deve ser mencionado, uma vez que, se o profissional está ou se formou no curso superior, consequentemente, passou pelo ensino médio.
  • Experiências profissionais: breve descrição das atividades executadas em cada empresa e data de início e saída (mês e ano); A orientação é detalhar, de forma objetiva, as últimas três empresas ou os últimos dez anos trabalhados.
  • Idiomas: especifique o nível de conhecimento da língua
  • Informações complementares: cursos extracurriculares, voluntariado, experiências no exterior, dentre outros.
  • Portfólio: para profissionais de áreas criativas, tais como Designer, Criação, Arte ou correlatas, é importante que o currículo direcione um link para o portfólio.

Um currículo não deve conter:

  • Foto
  • Erros de português
  • Número de documentos
  • Pretensão salarial
  • Referências profissionais
  • Assinatura
  • Descrição de atividades muito extensa e genérica
  • E-mails que não sejam profissionais (a orientação é que o e-mail tenha o seu nome e sobrenome, não mais do que isso)

Foto: Getty Images