As maiores gafes dos narradores esportivos

Por Pedro Katchborian em 12/05/2015

Há treze anos, em um domingo como outro qualquer, a Fórmula 1 estava em alta e Barrichello era um dos astros da Ferrari, ao lado de Michael Schumacher. Os dois corriam no GP da Áustria.

É claro que este último tinha prioridades naquele ano, pois vinha se destacando como o melhor do campeonato. Mas, para a surpresa de todos, no dia 12 de maio de 2002, era Barrichello quem liderava a prova. Na reta final, porém, Rubinho desacelerou e deixou Schumacher passar, a mando da equipe. O episódio, que marcou a vida dos pilotos e do esporte, também ficou na mente de um narrador.

Cléber Machado, da Globo, empolgou-se com o que seria a vitória do brasileiro. Mas temeu que pudesse acontecer o mesmo que em 2001, quando, em uma situação semelhante, Rubinho foi obrigado a deixar o alemão passar. Surgiu, então, um dos bordões mais famosos do narrador: “Hoje não, hoje não… Hoje sim!?”, esbravejou Cléber, quando percebeu que Schumacher havia mesmo ultrapassado o brasileiro.

Para “comemorar” o aniversário da gafe, reunimos esse e outros episódios parecidos que envolvem narradores esportivos. Veja!

1) Cleber Machado: Hoje não, hoje não… Hoje sim!?

faixa_blog

2) Rogério Correa: Gooooooool… Ou não!

faixa_blog

3) Marco de Vargas: “Parece que tem dois pulmões até”

faixa_blog

4) Luiz Roberto: “Esses negros maravilhosos”

faixa_blog


5) Oscar Roberto Godói: “Não vai ficar no chão filha da p…”

faixa_blog

6) Cleber Machado: Dênis ou Pênis?!

faixa_blog

7) Cleber Machado: o mundo mudou! Ou não.

https://www.youtube.com/watch?v=gOKj387qR0I

faixa_blog

8) Galvão Bueno: gol do Brasil ou não?

faixa_blog

9) Cleber Machado: E a narração do gol no vácuo…

faixa_blog

10) Galvão Bueno: E a teoria do elástico na bola…