Selo de alerta em alimentos industrializados pode incentivar escolhas mais saudáveis

Por Redação Apontador em 24/11/2016

Você compraria um alimento se a sua embalagem trouxesse uma tarja vermelha de alerta, informando que a composição não faz bem à saúde? De acordo com um estudo coordenado pela Universidade Federal do Paraná e Universidade Positivo, 89% dos consumidores mudaram suas escolhas no supermercado ao se deparar com a mensagem.

+ Salada de pacote aumenta a proliferação de salmonela

+ Quatro tipos de culinária que você precisa provar

“A inclusão de um selo de cores fortes diferenciadas é uma ferramenta importante para a interpretação das informações contidas nos produtos alimentícios embalados ultraprocessados e influencia na escolha dos alimentos”, esclarece o médico João Caetano Marchesini, presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica e um dos autores do estudo.

Com base nos resultados da pesquisa, foi criado o Projeto de Lei 470/2017, de autoria do deputado estadual Rasca Rodrigues (PV), que prevê a inclusão de selos diferenciados para a identificação do teor dos nutrientes contidos em alimentos ultraprocessados, embalados líquidos ou sólidos. A sua proposta prevê a criação de quatro cores de selos que, de acordo com a quantidade de açúcares, gordura total, gordura saturada, sódio e fibras, pode ser dourado (para um produto saudável) ou vermelho (que faz um alerta para o consumo).

“O projeto de lei tem como objetivo conter o avanço da obesidade, mostrando a importância de informações confiáveis nos produtos alimentícios para que as pessoas façam escolhas saudáveis”, afirmou o deputado estadual Rasca Rodrigues. “Apresentamos um estudo cientifico que comprova a mudança na escolha das pessoas quando elas são alertadas de que determinado alimento não faz bem à saúde”, conclui Marchesini.

E você, o que acha da medida? Qual seria a sua escolha?