Quais são os benefícios da spirulina e da chlorella para o organismo?

Por Mariana Castro em 30/10/2017

Cada vez mais, as pessoas têm buscado, além de um corpo em forma, qualidade de vida e bem-estar. Isso inclui, por exemplo, uma alimentação saudável, com alimentos ricos em nutrientes. Nesse contexto, dois nomes estão na boca – literalmente – da geração saúde: a spirulina e a chlorella.

+ Alimentos que fazem bem para o cabelo

Se você nunca ouviu falar, elas são superalimentos capazes de proporcionar diversos benefícios para a saúde. Ambas podem auxiliar na prevenção de doenças e no combate ao envelhecimento precoce. Além disso, seu consumo pode ser muito interessante para vegetarianos e veganos por serem fonte de proteína, ferro e vitamina B12.

Por isso, quem estiver interessado em melhorar a qualidade da saúde e da alimentação deve considerar a inclusão da spirulina e da chlorella na dieta. Confira os benefícios desses superalimentos:

Chlorella

A chlorella é uma alga unicelular, ou seja, seu organismo vivo é composto por apenas uma célula, com origem nas águas doces. Ela é composta de 50 a 60% por proteínas, além de aminoácidos essenciais. “O triptofano, por exemplo, não é produzido pelo corpo, sendo preciso adicioná-lo em nossa alimentação”, conta Ana Paula Gonçalves, do Hospital e Maternidade São Cristóvão. “Ele produz serotonina, que é o hormônio da felicidade”, explica ela. Outras propriedades:

  • Rica em fibras, auxiliando no bom funcionamento intestinal e na digestão
  • Por ser o alimento mais rico em clorofila, desintoxica o corpo eliminando metais pesados, como o mercúrio
  • Aumenta a produção de anticorpos, melhorando o sistema imunológico
  • Estimula a produção e a reconstrução de tecidos, acelerando cicatrizações e recuperação de lesões
  • Auxilia na saúde vascular por conta de suas altas concentrações de ômega 3, 6 e 9
  • Previne anemia e cãibras por ser rica em vitamina C, B12 e ferro
  • Melhora a pele e os cabelos por ser rica em betacaroteno e vitamina C
  • Reduz o colesterol
  • Controla a pressão alta por conter nutrientes que relaxam os vasos sanguíneos

Spirulina

Muitos acreditam que a spirulina é uma alga, mas, na verdade, ela é uma cianobactéria, isto é, um micro-organismo que se alimenta de fotossíntese. A concentração de proteína nesse alimento é maior do que a da chlorella e de outras fontes proteicas como carnes e ovos. Seus benefícios são:

  • Reduz o colesterol ruim (LDL) e aumenta o bom (HDL)
  • Melhora a glicemia e os sintomas de rinite alérgica
  • Contém antioxidantes que mantém as células saudáveis e evitam o envelhecimento precoce
  • Fonte de betacaroteno, o que melhora a saúde da pele e a protege contra os raios ultravioletas
  • Auxilia na perda de peso pois inibe o apetite
  • Melhora a flora intestinal
  • Previne anemia por conter ferro
  • Estudos sugerem a redução de gordura no fígado em pacientes com esteatose hepática

Como consumir a chlorella e a spirulina corretamente?

Os benefícios citados acima são vistos de forma isolada. Por isso, se quiser usufruir ao máximo desses superalimentos, a recomendação é consumi-los juntos. “A dose varia conforme o objetivo do uso e as características de cada pessoa”, explica João Pinheiro, nutricionista esportivo e clínico. A quantidade recomendada é de duas gramas por dia, o que equivale a quatro cápsulas de cada uma.

O ideal é ingerir duas cápsulas de spirulina antes das refeições e nos momentos em que mais precisar de energia. “Você pode tomar, por exemplo, duas antes do café da manhã e duas antes do almoço”, sugere Ana Paula. “Se você costuma se exercitar a noite, pode tomar as cápsulas de manhã e antes do seu pré-treino”, completa. No caso da chlorella, é preciso distribuí-la ao longo do dia, pois isso ajuda em sua absorção e na eliminação de possíveis toxinas dos alimentos ingeridos. “O ideal é consumir uma cápsula antes de cada refeição”, recomenda a especialista.

+ Mitos e verdades sobre a goji berry

Para ter um melhor aproveitamento, uma boa opção é ingeri-las em comprimidos ou cápsulas, pois assim há maior controle da quantidade e facilidade na digestão. “Acima de três gramas, é interessante ingerir em pó pela praticidade, mas algumas pessoas podem não se familiarizar com o odor e sabor forte”, revela João.

Pessoas que estiverem fazendo uso de medicações para o tratamento de câncer devem consultar um nutricionista ou médico pois a spirulina pode interagir com determinados medicamentos. Portadores de gota e pessoas alérgicas a frutos do mar também devem evitar, pois a spirulina contém um aminoácido que pode causar reações adversas nesses casos. “Embora não haja evidências de conflitos entre gravidez ou aleitamento e o consumo do alimento, também é aconselhável consultar um médico nesses casos”, finaliza Ana Paula.

Foto: Getty Images