Mitos e verdades sobre a tapioca

Por Mariana Castro em 26/04/2017

Grande tendência entre as pessoas fitness, a tapioca virou a queridinha das dietas. Fácil de preparar e muito saborosa, ela vem sendo incluída no cardápio dos brasileiros, que usufruem das diversas possibilidades de recheio que ela pode levar. No entanto, apesar do sucesso, é comum questionar sobre as funções nutricionais da tapioca. Será que ela é mesmo um superalimento?

+ Mitos e verdades sobre o glúten

+ Mitos e verdades sobre a goji berry

Segundo nutricionistas, a tapioca é feita de apenas um ingrediente, a farinha extraída da mandioca, o que faz com que ela não contenha valores nutricionais significantes. A tapioca é um alimento natural que é fonte de carboidrato e fornece energia para as células do organismo. Apesar disso, o produto não contém fibras e tem baixa quantidade de vitaminas, minerais, proteínas e lipídios em sua composição.

Diante das dúvidas acerca do alimento, as nutricionistas Marina Gorga e Natasha Terra desvendaram alguns mitos e verdades sobre a tapioca. Confira:

A tapioca ajuda a emagrecer? Mito

“Dependendo do estilo de vida e composição corporal da pessoa, como no caso de praticantes de atividade física intensa, por exemplo, ela é uma boa opção para incluir no plano alimentar”, afirma Natasha. “Mas, não ajuda a emagrecer por si só”, completa. Ela é uma farinha branca, apresentando vantagens apenas por não conter glúten. Por isso, a tapioca também deve ser consumida com moderação. “A cada 50 gramas da massa, vinte são de carboidrato”, explica Marina.

Ela ainda possui alto índice glicêmico, o que significa que sua absorção e digestão é muito rápida e há maior liberação de insulina. Por essa característica, a tapioca pode favorecer o ganho de gordura abdominal e o desenvolvimento de doenças crônicas, como a diabetes, se consumida em grandes quantidades.

Qualquer alimento é bom para rechear a tapioca? Mito

As melhores opções de recheio para a tapioca são alimentos fonte de proteína, que irão ajudar a diminuir o índice glicêmico e promover maior saciedade. Algumas opções são: queijos magros, como de búfala ou cabra, ovo, frango ou carne desfiados, atum, pasta de grão de bico, tofu e abacate.

A tapioca é um bom alimento para consumir antes ou depois do treino? Verdade

Esses são os momentos ideais para consumi-la. “No pré-treino, ela irá fornecer energia para os músculos, devendo ser consumida em conjunto com uma fonte de proteína que garantirá a síntese proteica”, orienta Natasha. Após o treino, o aumento de insulina proporcionado pela tapioca favorecerá o ganho de massa magra, uma vez que a insulina é um hormônio anabólico.

+ Mitos e verdades da dieta vegana

A tapioca pode substituir o pão? Verdade

Ela é uma boa substituta para pães industrializados, biscoitos e torradas, uma vez que é composta apenas por fécula de mandioca. Isso exclui do alimento óleo, açúcar, sal, conservantes e aromatizantes, além do glúten, presentes nos pães em geral. “Mas, se estivermos falando de um pão feito artesanalmente, com boa farinha, fermentação natural e rico em outros nutrientes, talvez ela não seja a melhor substituta”, ressalta Marina.

A tapioca pode ser consumida mais de uma vez por dia? Mito

Os horários mais aconselhados para o consumo da tapioca são antes ou depois do treino, no café da manhã ou no lanche da tarde. “Escolhendo bons recheios, ela pode fornecer bastante saciedade, fazendo com que a pessoa coma menos no jantar”, afirma Marina. “Não é aconselhável comê-la mais de uma vez por dia devido a sua alta quantidade de carboidratos, além de não possuir uma boa quantidade de nutrientes”, diz Natasha. Uma ótima opção é acrescentar ingredientes que diminuam seu índice glicêmico, como chia, linhaça e aveia.

A tapioca pode fazer parte da alimentação infantil? Verdade

A tapioca é pobre em nutrientes e, por isso, não deve ser substituída por outros alimentos importantes para as crianças. Apesar disso, ela pode ser uma alternativa à utilização de pães e farinhas industrializadas e refinadas. Por isso, crianças podem consumi-la, levando em consideração a quantidade certa e a escolha ideal de recheios.

Foto: Getty Images