Benefícios do azeite de oliva para a saúde

Por Mariana Castro em 18/09/2017

Desde temperar uma salada até o preparo de refogados, o azeite é responsável por dar aquele gostinho especial à comida. Muitos não conseguem ficar sem, mas poucos realmente sabem os benefícios do azeite – especificamente do mais comum deles, o azeite de oliva.

O óleo se encontra na categoria de gorduras boas, composto principalmente por ácidos graxos e antioxidantes. “No nosso organismo, o azeite de oliva funciona como uma gordura anti-inflamatória, uma vez que ajuda na redução do colesterol LDL, ou colesterol ruim, e no aumento do colesterol bom, que é o colesterol HDL”, explica a nutricionista funcional Julia Pellegrino.

+ Mitos e verdades sobre a goji berry

Além disso, o azeite de oliva contribui para um envelhecimento celular saudável, prevenindo contra doenças cardiovasculares e promovendo o controle da glicemia. “O consumo regular de uma colher de sopa por dia do azeite em sua forma extra virgem crua é uma estratégia fácil e interessante para usufruir de seus benefícios”, aconselha a especialista.

Ao ficar muito tempo exposto ao calor, o azeite pode perder uma pequena quantidade de antioxidantes e dos efeitos anti-inflamatórios. Por conta disso, ele é mais indicado em sua forma crua, podendo finalizar pratos principais, guarnições e, principalmente, saladas. Mas, ele também pode ser utilizado em refogados simples ou outros alimentos preparados em baixa temperatura, a fim de usufruir ao máximo de seus benefícios.

Diferentes tipos de azeite

A principal diferença entre os diferentes azeites é sua acidez e a quantidade de antioxidantes. “O azeite de oliva extra virgem contém acidez de, no máximo, 0,8%”, revela Julia. “Este é o óleo com melhor qualidade, pois mantém a maior quantidade de antioxidantes”, completa. Ainda há o azeite de oliva virgem, com acidez entre 0,8 a 2%, e o óleo misto ou composto, que é o azeite de oliva virgem diluído com outros tipos de óleo. “O azeite virgem é um bom azeite, mas tanto ele quanto o óleo misto têm benefícios inferiores ao azeite de oliva extra virgem”, diz a nutricionista.

Também há uma ampla diversidade de azeites além do de oliva, como o azeite trufado, azeite de dendê, azeite de abacate, dentre outros. “Mas, é importante priorizar o consumo do azeite de oliva extra virgem, pois é nele que se encontra a melhor composição de ácidos graxos e antioxidantes para ajudar a prevenir doenças cardiovasculares e controlar o metabolismo da glicose”, aconselha Julia.

Vale ressaltar que é necessário verificar se o azeite está armazenado em vidro escuro, para proteger o conteúdo da luz solar e preservar todos os seus componentes. O azeite pode ser consumido em qualquer faixa etária e todas irão se beneficiar da mesma forma. “Mas, sempre lembrando que os benefícios do azeite de oliva vêm acompanhados de um estilo de vida saudável”, alerta a especialista. “Como qualquer alimento, o consumo precisa ser equilibrado para não exceder as calorias totais do dia”, completa. E, uma vez que as necessidades calóricas variam para cada indivíduo, o recomendado é procurar um nutricionista que passe as orientações corretas.

Foto: Getty Images