Como tornar um cômodo mais amplo?

Por Mariana Castro em 11/09/2017

Em um mundo em que as pessoas estão cada vez mais isoladas em seus smartphones, integrar e envolver os membros de um núcleo, seja ele familiar ou de amigos, é uma tendência crescente. Por isso, na hora de decorar casas e apartamentos, tem sido comum a busca por ambientes integrados e com a sensação de amplitude.

“É necessário que as pessoas resgatem valores antigos de união e integração, compartilhando momentos e histórias na vida real, e não apenas no ambiente virtual”, acredita Bruno Athayde, arquiteto da Simonetto, loja de móveis planejados. Por isso, vemos cada vez mais espaços integrados, como salas de televisão, jantar e cozinha funcionando juntos, em harmonia.

Além disso, um ambiente amplo é bem-vindo na maioria das vezes. É claro que é preciso analisar a sua finalidade e o perfil do usuário. Mas, quanto maior o espaço, maior a sensação de liberdade do morador. “A tendência, atualmente, são imóveis com cada vez menos paredes. Desta forma, as divisórias ficam delimitadas por móveis ou por revestimentos”, explica Bruno. “É uma boa estratégia para quem gosta de receber amigos, tem uma família grande e quer integrar a todos”, completa.

+ Como transformar os cômodos em espaços mais aconchegantes?

+ Caixa organizadora contribui para arrumação e decoração de ambientes

Um ambiente amplo exige um projeto detalhado, uma vez que é preciso levar em conta a acústica, as cores e as texturas para que o espaço não se torne frio e seja aconchegante. Também há um custo mais alto de manutenção e limpeza, que acaba levando mais tempo. Outra recomendação importante é ficar atento ao momento em que já não se sabe mais o que fazer com tanto espaço para não ocupá-lo de forma exagerada.

“É um hábito ocidental preencher paredes e espaços”, revela Denise Polonio, professora de arquitetura e urbanismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie. “Com objetos e elementos em excesso, um ambiente amplo pode voltar a parecer pequeno. Os moradores podem se sentir perdidos e, preenchendo o espaço com coisas desnecessárias, não estarão tirando o melhor proveito dele”, completa. Portanto, é sempre importante saber equilibrar. É preciso aprender que o vazio também é necessário, até para que os objetos escolhidos sejam valorizados.

Como tornar um cômodo mais amplo?

“Cores claras, espelhos e móveis planejados para otimizar espaços são o trio de sucesso no quesito ampliar ou passar a sensação de que o ambiente é maior”, revela o arquiteto da Simonetto. Espelhos, em paredes estratégicas, ampliam o ambiente pois não definem o final do espaço. A parede deixa de ser concreta, sólida, e passa a ser reflexiva, confundindo a dimensão do espaço e acrescentando maior profundidade a ele.

Também é ideal o uso de cores claras ou, se houver variação de tons, que sejam sutis, a fim de que o contorno dos ambientes não fique tão demarcado. “Em um ambiente pequeno, estabelecer muitos contrastes como, por exemplo, paredes com variações acentuadas nas cores, vai delimitar esse espaço”, alerta a professora.

Espaços integrados têm se tornado tendência em uma época em que as pessoas estão cada vez mais isoladas em seus smartphones

Para aproveitar ao máximo o espaço e promover a sensação de amplitude, ainda é preciso buscar os móveis certos. “Às vezes, o desenho do móvel e as proporções dele podem não ser adequadas à disponibilidade de espaço que você tem”, sugere Denise. “Isso acontece com sofás e poltronas, por exemplo, que podem até caber no espaço, mas com um braço muito grande ou muita profundidade acabam roubando a cena”, completa. A disposição é importante para priorizar uma circulação livre. Dessa maneira, não é aconselhável colocar móveis que farão o morador precisar de esforço para circular, como ter que desviar o tempo todo de um objeto.

Os móveis precisam ser pensados como algo que tenha função, que atenda as pessoas daquele espaço de alguma forma. Claro que existem móveis que tem uma função estética, mas para esses é adequado escolher um material que os torne mais leves. “No caso de um aparador, por exemplo, é indicado o vidro, pois a transparência permite que você continue seu olhar por dentro dele”, indica a especialista.

Outro recurso utilizado para tornar cômodos mais amplos é a iluminação. É preciso utilizá-la de forma estratégica para tirar a atenção de áreas onde não há o que mostrar e valorizar certos cantos, criando um ponto de fuga no qual o restante passa a ter uma importância secundária. Uma luz indireta também pode ser interessante, pois irá banhar o ambiente de luz de forma uniforme, estabelecendo uma sensação de amplitude e perspectiva.

Se for possível mexer nas janelas, abrir um vão para que essa claridade entre pode ser uma ótima ideia. Se isso não for possível, a alternativa é colocar cortinas translúcidas. “Não use esse artifício apenas na extensão da janela. O ideal é que a cortina vá do teto ao chão, porque isso amplia a sensação de pé direito”, conclui Denise.

Fotos: Getty Images