Como escolher um bom síndico?

Por Mariana Castro em 10/11/2016

Condomínios são considerados um mundo à parte, com sua própria dinâmica, regras e problemas. Por isso, é necessário alguém que organize tudo isso e mantenha o convívio pacífico entre todos os habitantes desse complexo universo. Esse papel é exercido pelo síndico, que precisa ser escolhido com cautela para evitar prejuízos e crises entre os condôminos.

+ Conheça as regras para reformar imóveis

A tarefa exige dedicação e qualificações específicas para ser desempenhada com sucesso. Por isso, um morador precisa levar a sério a escolha de seu síndico, sem deixar que a amizade com aquele vizinho simpático influencie em seu voto.

O que faz um síndico?

“O síndico é o representante legal dos interesses do condomínio em todas as esferas: administrativa, judicial e condominial”, contou ao Sindicato da Habitação e Condomínios (Secovi), Rosely Schwartz, autora do livro Revolucionando o Condomínio e professora do curso de Administração de Condomínios da Escola Paulista de Direito.

Segundo o Secovi, compete ao síndico:

  • Convocar assembleias
  • Informar sobre qualquer problema judicial ou administrativo
  • Cumprir e fazer cumprir as determinações das assembleias
  • Zelar pelas áreas comuns e cuidar da prestação de serviços do condomínio
  • Cobrar as contribuições dos condôminos e eventuais multas
  • Prestar contas na assembleia do condomínio anualmente ou sempre que requisitado
  • Elaborar a previsão orçamentária
  • Contratar seguro para o prédio

Como escolher um bom síndico?

Um bom síndico deve ser, também, um bom administrador. É importante que ele tenha certo conhecimento a respeito do funcionamento do condomínio e de suas necessidades. Ele precisa ser capaz de estabelecer boas relações sociais com funcionários e moradores, além de resolver problemas emergenciais e de logística.

Algumas qualificações específicas são:

  • Tempo e disponibilidade para exercer a função
  • Saber conciliar e gerenciar conflitos
  • Manter os pés no chão e não criar planos e metas irreais
  • Ter um cronograma organizado com objetivos e prazos
  • Se relacionar com os condôminos sem abusar de autoridade

+ Casa ou apartamento? As vantagens e desvantagens

É possível contratar um síndico profissional?      

Por falta de candidatos ou pela insatisfação dos moradores com os candidatos atuais, alguns condomínios recorrem a contratação de um síndico profissional. Com formação na área e experiência para administrar condomínios, ele pode trazer muitas vantagens.

Apesar disso, é necessário um investimento extra, que nem sempre cabe no orçamento de condomínios menores. Por isso, a contratação de um síndico terceirizado é mais comum em condomínios comerciais ou residenciais e que tenham muitas unidades.                    

Foto: Getty Images