Venda de carros importados deve cair 40% este ano

Por Mariana Castro em 16/12/2016

Segundo um relatório divulgado pela Abeifa, haverá uma redução de até 40% na venda de carros importados este ano. Ao longo de 2016 foram comercializadas 35.500 unidades, enquanto, em 2015, este número foi de 60 mil. Para 2017, as perspectivas não são melhores: estima-se uma redução de 29,5%, uma média de 25 mil unidades.

+ Relatório aponta que produção de veículos no Brasil subiu em novembro

+ Financiamento para compra de veículos usados sobe em novembro

Segundo a associação, que representa as importadoras independentes e algumas marcas que produzem carros no Brasil, a queda no número de vendas se deve, principalmente, a uma norma que restringe marcas sem fábrica a importar no máximo 4.800 veículos por ano para o país. Cada carro importado a mais é taxado com 30 pontos porcentuais de IPI (imposto sobre produtos industrializados).

“Com a cotação do dólar acima de R$3, não compensa mais importar veículos além da sua cota”, falou o presidente da Abeifa, José Luiz Gandini, ao Estadão. “O mercado de importados ficou limitado pelo teto das cotas”. O resultado disso para o consumidor é um acesso mais restrito a veículos fabricados fora do país.

+ Volkswagen anuncia investimento de R$1,5 bilhão no Brasil até 2021

Uma proposta da associação ao governo federal foi a redistribuição das cotas que não foram utilizadas, seja porque a empresa encerrou as atividades no Brasil ou porque foi descredenciada como fabricante. Ainda não há previsão para que isso ocorra de fato, mas a medida ampliaria a oferta de importados em cerca de 20 mil unidades.

Foto: Getty Images