Quando devo trocar minha moto?

Por Mariana Castro em 09/10/2017

Para os motoristas, é muito satisfatória a sensação de adquirir um novo carro ou motocicleta. A fim de prolongar ao máximo os benefícios de se ter um veículo, como praticidade e liberdade, a preservação e o cuidado com ele são fundamentais. Afinal, no caso das motocicletas, especialmente, a necessidade de trocar de moto depende unicamente de quem a dirige.

+ O que checar no carro antes de pegar a estrada?

+ Como fazer a revisão do carro para as férias?

“Uma motocicleta que cumpre os prazos de manutenção rigorosamente estará sempre em condições de uso, mesmo com quilometragem elevada”, revela a equipe técnica da Harley-Davidson. Segundo eles, os cuidados básicos para que uma moto dure o máximo de tempo possível são utilizar somente peças originais da marca e lubrificantes recomendados. Também é importante guardar e realizar a limpeza da moto conforme as especificações contidas no manual.

As primeiras trocas de óleo são fundamentais para a conservação da moto. Isso porque elas influenciarão no amaciamento do motor e na contenção de limalhas, que são partículas metálicas resultantes deste processo. Após esse período inicial, continue atento ao tempo entre as trocas, pois o óleo perde suas características fundamentais conforme o uso. Desta forma, ele deixa de realizar algumas funções de forma eficaz, como limpeza, lubrificação, arrefecimento, vedação e proteção à corrosão.

+ Seis dicas para economizar combustível em viagens de carro 

É claro que é preciso levar em consideração o desgaste natural de algumas peças, como das velas de ignição, pastilhas de freio, conjunto de embreagem, dentre outros. Elas devem ser substituídas segundo as indicações, mas essa reposição pode ter um custo elevado. “Por isso, a troca de uma moto por outra é uma decisão pessoal”, explica a equipe. No geral, a substituição de uma motocicleta ocorre por interesse de adquirir um novo modelo ou tecnologia, e não por seu tempo de uso.

Se a motocicleta adquirida for seminova, é importante se ater a alguns pontos para garantir que ela esteja em perfeito estado para uso do novo motorista. “No manual do proprietário devem constar os carimbos das revisões realizadas em concessionária autorizada, além da lista das peças que foram substituídas para garantir a segurança do novo proprietário”, alertam os especialistas da Harley-Davidson. Os pneus, sistema de freios e correia de transmissão, que são itens que influenciam na segurança da condução, devem possuir ótima condição de uso.

Foto: Getty Images