Dicas para motoristas iniciantes dirigirem com segurança

Por Patricia Machado em 24/11/2017

Quem tirou a carteira de habilitação recentemente ou já tem o documento há algum tempo, mas não costuma dirigir com muita frequência, pode ter dúvidas de como proceder diante de algumas situações no trânsito, como dirigir à noite, na chuva ou  sob neblina.

Para dirigir com segurança, o primeiro passo é saber se posicionar corretamente ao volante. De acordo com Marcus Romaro, engenheiro de Controle de Tráfego do Campo de Provas da Ford, o motorista precisa ter a distância necessária do volante e dos pedais para poder usar os comandos do veículo.

+ Quando fazer o alinhamento das rodas do carro?

+ Como prolongar a vida útil dos pneus?

Para ajustar a posição do banco, o condutor deve pisar até o fim da embreagem com o pé direito sem tirar as costas do encosto, garantindo que as pernas possam ficar flexionadas o suficiente para que se tenha a distância e força necessárias para acionar todos os pedais. Depois, ele deve verificar se, ao esticar os braços, os punhos ficam apoiados na parte de cima do volante.

“Essa é a posição ideal. Devemos segurar o volante com as mãos na posição 10 e 10 (fazendo analogia com a disposição dos ponteiros do relógio). Assim, formamos uma alavanca a 120 graus e temos força para segurar o veículo em uma curva, um buraco ou uma emergência e também podemos fazer quase todas as curvas existentes nas rodovias, especialmente, sem tirar as mãos do volante”, explica Marcus.

Além disso, a parte superior do encosto de cabeça precisa estar na altura da linha dos olhos ou acima. Se estiver abaixo, na altura da nuca, e houver uma colisão traseira, poderá ocorrer alguma lesão. O cinto de segurança deve passar nas partes mais fortes do corpo humano sem estar torcido.

“O cinto é capaz de suportar uma força de 2,5 toneladas em cada cadarço. O nosso corpo permite suportar essa carga, mas nas partes estruturais, como clavícula e pelvis. Caso esteja posicionado sobre a bexiga ou barriga, por exemplo, podem ocorrer lesões sérias, em caso de colisão. Para as mulheres, a parte diagonal do cinto deve passar entre os seios e, no caso das grávidas, o cadarço abdominal deverá estar abaixo da barriga”, alerta o especialista.

Como dirigir na estrada com segurança? 

Para dirigir em uma estrada ou nas vias da cidade, o condutor deve estar descansado e com o veículo em perfeitas condições de manutenção. Nas rodovias, como as velocidades médias são maiores, deve-se prestar ainda mais atenção à distância do veículo à frente, pois o espaço de frenagem aumenta muito.

Por exemplo, se um veículo a 50 km/h percorre uma distância de 50 metros para parar totalmente, esse mesmo veículo, nas mesmas condições e trafegando a 100 km/h precisará de, no mínimo, 200 metros para parar.

Quem tirou a carteira de habilitação recentemente pode ter dúvidas de como proceder diante de algumas situações no trânsito

Durante a noite, a visibilidade dos motoristas fica comprometida. Por isso, deve-se conduzir o veículo a uma velocidade compatível com o fluxo da via e que permita ao condutor tomar qualquer ação corretiva ou de emergência a tempo de evitar um acidente.

“O mais importante é trafegar somente com os faróis baixos ligados e devidamente regulados. Não se deve rodar apenas com as lanternas ou faróis auxiliares (neblina ou milha) ligados, pois não garantirão a melhor visibilidade”, recomenda Marcus. Também deve ser evitado o uso de faróis altos, especialmente na cidade, para não ofuscar os outros motoristas, o que pode até causar acidentes. “Uma dica, caso isso aconteça, é evitar olhar diretamente para os faróis dos veículos que vêm em sentido contrário, abaixando e desviando o olhar para a direita, visualizando as margens da via”, completa.

O que fazer em caso de chuva ou neblina?

A capacidade de drenagem da água pelos pneus é limitada e depende do tipo e das condições desses componentes, da velocidade do veículo, do tipo de piso e estado da via e do volume de precipitação da água da chuva. Por isso, na chuva, o mais importante é reduzir a velocidade para evitar a aquaplanagem e aumentar a distância em relação ao veículo da frente, sempre observando e controlando a distância do carro de trás.

+ Lugares para fazer revisão do carro em São Paulo

Deve-se, também, evitar ao máximo frear bruscamente, o que aumenta o risco de aquaplanagem e de colisão traseira, caso o veículo de trás não consiga parar a tempo. O indicado é tirar o pé do acelerador e deixar o veículo reduzir gradativamente a velocidade ao perceber o piso molhado. Porém, em uma descida, deve-se usar uma marcha mais curta e dar toques leves e suaves no pedal do freio em caso de necessidade.

É muito comum encontrar neblina na estrada quando o motorista está a caminho da praia ou região serrana. Ao enfrentar estrada com névoa densa e rasteira, o melhor a fazer é acender os faróis de neblina. “Esses faróis possibilitam conduzir o veículo de forma mais segura, pois permitem enxergar as laterais da pista para não perder o controle da direção. Não se deve usar o farol alto, pois a luz emitida é refletida pelas partículas de água na altura dos olhos do motorista, prejudicando a visibilidade”, ressalta o especialista. “Se o automóvel não tiver faróis de neblina, o recomendado é usar os faróis baixos, reduzir a velocidade e manter boa distância do veículo à frente”, completa. Vale lembrar que o pisca-alerta jamais deve ser utilizado com o carro em movimento.

Fotos: Getty Images