Cresce o número de motoristas que se recusam a fazer teste do bafômetro em SP

Por Patricia Machado em 08/11/2016

Um novo relatório divulgado pela Polícia Militar revelou que aumentou o número de motoristas que se recusaram a fazer o teste do bafômetro quando foram parados por um blitz do Comando de Policiamento de Trânsito em São Paulo. O índice mostrou um aumento de 36% nos primeiros dez meses deste ano, quando comparado com o mesmo período do ano passado.

+ Multas de trânsito ficam mais caras

+ Como funciona o curso de reciclagem da CNH?

Os números indicaram que entre janeiro e outubro de 2015, 55,5 mil motoristas foram parados e 6,9% deles se recusaram a fazer o teste. Neste ano, a polícia pediu para que 112 mil condutores assoprassem o bafômetro, mas 9,4% negaram o pedido.

Além disso, a quantidade de pessoas que foram autuadas por causa do equipamento também aumentou. Em 2015, 3.711 motoristas foram flagrados pelo bafômetro. Este ano, o número subiu para 3.861 condutores.

Nova lei

Apesar do relatório apontar um aumento no número de motoristas que se recusaram a passar pelo teste, esse comportamento deverá mudar em breve. As novas leis de trânsito determinaram que quem se negar a fazer o bafômetro terá que pagar R$ 2.934,70 de multa, além de ter a carteira de motorista recolhida e ficar sujeito a ter o direito de dirigir suspenso por até 12 meses.

Foto: Getty Images