Como trocar o óleo de carro corretamente?

Por Patricia Machado em 23/08/2017

Para evitar problemas no veículo, o motorista deve se certificar de que tudo está em ordem. Além de checar os pneus e a água do radiador, é importante verificar com frequência o óleo do carro. Este item tem a função de lubrificar as peças móveis e que possuem atrito e auxiliar no controle da temperatura do motor.

+ Cuidados essenciais para evitar problemas no carro

+ O que avaliar na hora de comprar uma moto?

“O óleo, em boas condições e substituído no momento certo, aumenta a vida útil do motor e ajuda na economia de combustível e no desempenho do veículo”, explica Eduardo Gava, gestor de serviços e qualidade da DPaschoal.

Os motoristas devem verificar o nível do óleo regularmente. Isto deve ser feito em um lugar plano e sempre com o motor frio. Por isso, caso o carro já esteja ligado e rodando há muito tempo, a recomendação é desligar o motor e esperar alguns minutos. Caso contrário, o resultado poderá indicar um nível menor de óleo.

“A medição deve ser realizada por meio da vareta de óleo, que possui uma marcação mostrando o nível máximo e mínimo. Ao puxar pela primeira vez a vareta, faça apenas a limpeza da mesma com um pano que não solte fiapos. Depois, coloque a vareta no local indicado e verifique o nível de óleo”, diz Eduardo. “Muitas vezes, a medição do nível de óleo é feita com o motor quente, indicando um nível menor do que o real. Com isso, muitas pessoas acabam completando o óleo sem necessidade”, completa.

O óleo do carro tem a função de lubrificar as peças móveis e que possuem atrito e auxiliar no controle da temperatura do motor

Para evitar qualquer tipo de problema no motor, a troca do óleo deve ser realizada conforme a recomendação do fabricante do veículo. Apenas os óleos indicados para o motor daquele modelo de carro devem ser colocados no veículo. “Durante a troca de óleo deve ocorrer também a troca do filtro de óleo, pois esse item armazena de 200ml até 500ml de óleo e não substituí-lo a cada troca fará com que o novo óleo seja misturado com o óleo velho”, afirma o especialista.

O serviço de troca de óleo deve ser realizado por empresas que tenham os equipamentos adequados e também por profissionais capacitados. Isso evitará erros e contratempos. As formas mais comuns para fazer a troca de óleo são por gravidade ou sucção. A primeira é realizada com o veículo suspenso. Durante o procedimento, o bujão do carter é retirado e, depois, o óleo é removido do motor. Já a técnica de sucção é caracterizada pela utilização de um equipamento para sugar o óleo do motor. Neste caso, o veículo não precisa ser elevado.

“Caso o veículo esteja consumindo muito óleo, é importante consultar o manual. No entanto, se nenhuma indicação para esse comportamento for encontrado, a recomendação é procurar um especialista, pois o problema pode estar em algum componente do motor”, avalia Eduardo.

Para não ser enganado por alguns mitos sobre o óleo do carro, sempre desconfie quando alguém afirmar que o produto perdeu a viscosidade e, por isso, precisa ser trocado. “Existe um mito no mercado que diz ser possível avaliar o óleo com os dedos, afirmando que houve uma alteração de viscosidade. Mas, avaliar a viscosidade com os dedos é algo impossível. Portanto, caso alguém fale para trocar o óleo porque não tem a viscosidade correta sem avaliar o mesmo com equipamentos para essa finalidade, não acredite nisso”, alerta o especialista.

Fotos: Getty Images