Manter contato com o ex pode ser sinal de traços obscuros na personalidade, segundo psicólogos

Por Mariana Castro em 17/08/2016

Querer manter uma relação de amizade após o término de um relacionamento parece uma atitude bem civilizada. Mas, um novo estudo descobriu que essa decisão, aparentemente tão simpática e amável, pode ser, na verdade, um sinal de traços obscuros na sua personalidade.

+ Estar solteiro custa mais caro do que estar namorando, conclui levantamento

+ Pessoas altruístas e bondosas fazem mais sexo, diz pesquisa

Psicólogos da Universidade de Oakland, nos Estados Unidos, revelaram que a amizade entre ex-namorados, em alguns casos, pode acontecer porque ela oferece a chance dos antigos parceiros trocarem “recursos desejáveis”, como dinheiro, carinho ou sexo.

Os especialistas Justin Mogilski e Lisa Welling recrutaram 861 participantes para o estudo. Eles explicaram as motivações para continuarem amigos de seus antigos parceiros, além de responderem questionários que detectariam traços obscuros em suas personalidades – como manipulação, narcisismo, maquiavelismo e psicopatia.

Estudos anteriores já haviam revelado que pessoas que apresentam essas características escolhem amigos por razões estratégicas e preferem relacionamentos mais curtos. O novo estudo provou o mesmo para pessoas que mantém relações de amizade com seus ex-namorados. Essas pessoas, geralmente, optam por ter contato com o ex por acharem mais prático e por terem a possibilidade de usar o outro para atender os seus desejos sexuais.

Além disso, a pesquisa revelou que os homens são os que mais procuram manter a amizade após o fim do relacionamento por causa do sexo. “Os homens escolheram mais a opção “acesso sexual” do que as mulheres, o que é similar a outros estudos que já haviam mostrado que eles fazem amizade com o sexo oposto baseados na atração sexual”, escreveram os autores no periódico Personality and Individual Differences.

Foto: Thinkstock