Aumentar o número de relações sexuais não garante mais felicidade, revela pesquisa

Por Patricia Machado em 01/06/2016

Um pesquisa realizada pela Carnegie Mellon University, nos Estados Unidos, e liderada pelo professor George Leowenstein, especialista em economia e psicologia, contradiz o senso comum e garante que aumentar o número de relações sexuais não é capaz de garantir mais felicidade.

+ Jogo dá dicas para se exercitar durante o sexo

+ Quanto tempo da sua vida fazendo sexo?

Para chegar a essa conclusão, o pesquisador contou com a ajuda de 64 casais que tinham entre 35 e 65 anos e que eram casados e heterossexuais.

O projeto dividiu os casais em dois grupos. Uma parte dos voluntários deveria dobrar a quantidade de sexo que faziam por mês enquanto os outros participantes deveriam manter a rotina sexual que tinham.

Ao longo de 90 dias, os casais também tiveram que responder um questionário online que era capaz de determinar o grau de felicidade de cada participante ao final do dia e avaliar o nível de satisfação sexual que cada um tinha.

Ao analisar os questionários, o pesquisador concluiu que o aumento da atividade sexual não é capaz de aumentar o grau de felicidade dos parceiros, uma vez que os casais disseram que a alta frequência sexual fez com que eles deixassem de aproveitar o sexo e se sentissem mais infelizes.

Foto: Thinkstock