As diferenças do orgasmo masculino e feminino

Por Pedro Katchborian em 25/04/2016

O orgasmo ainda é um tabu para muita gente e, apesar de ser um fenômeno biológico analisado há anos, cientistas ainda batalham para entender as diferenças do orgasmo masculino e feminino.

+ Ciência descobre a hora perfeita para fazer sexo 

Alguns desses pesquisadores são os cientistas da Indiana University School of Medicine e da Mayo Clinic, nos Estados Unidos. Eles se dedicam a entender a diferença do orgasmo entre os gêneros.

A conclusão para o seu estudo mais recente foi: para o homem atingir esse ápice é necessário que os sinais entre cérebro, medula espinhal e pênis estejam funcionando corretamente, enquanto para a mulher costuma ser uma questão da posição do clitóris durante a relação.

Nos homens, os hormônios sensoriais são responsáveis por mandar a mensagem de orgasmo para a espinha e para o cérebro. Quando a mensagem é processada, eles informarão ao pênis o que ele deve fazer. Quando essa comunicação falha, o homem não alcança o orgasmo.

Segundo o médico Jason Siegel, autor do estudo, essa compreensão do orgasmo nas mulheres é bem mais difícil. Quanto mais perto da parede vaginal está o clitóris, maiores as chances dela alcançar o orgasmo.

Estudos já tentaram analisar com um microscópio a parede vaginal para ter mais detalhes, mas a posição dos nervos foi considerada “inconsistente” — ou seja, não há um padrão — o que torna o entendimento do orgasmo feminino ainda mais difícil.

De acordo com a pesquisa, a posição ideal de entrada do pênis para a estimulação da parede vaginal é de 30º a 40º — algo realmente difícil de alcançar, não!?