Saúde e Bem-Estar

Viver reclamando pode estar acabando com a sua saúde, diz especialista

Viver reclamando pode estar acabando com a sua saúde, diz especialista

Trabalho, provas, trânsito, cansaço, fome: você, com certeza, já reclamou de pelo menos um desses itens hoje. Com uma rotina agitada e o estresse do dia a dia, fica difícil não usar a sua “cota de reclamação” do dia, que nada mais é do que aquele momento em que você só quer sentar e reclamar um pouco, não é mesmo?

+ Descubra o que o estresse pode fazer com seu corpo

+ Aplicativos que ajudam a diminuir o estresse

Mas, cuidado! A ciência descobriu que emoções negativas podem trazer consequências ao organismo e que elas são mais graves do que imaginamos. Steven Parton, cientista e filósofo americano, desenvolveu uma teoria capaz de provar que a negatividade pode afetar o cérebro do “reclamão’’ e de quem convive com ele.

A sua descoberta foi publicada em um artigo divulgado no site Curious Ape. Deixe o mau humor de lado e confira o que a negatividade pode fazer com você:

Reclamar pode mudar a sua personalidade

A explicação para isso é lógica, acompanhe: quando você tem um pensamento, as sinapses, elo transmissor entre os neurônios, formam pontes para transportar esse pensamento pelo cérebro. Toda vez que essa carga de energia é liberada, as sinapses se aproximam, visando diminuir a distância da viagem desses pensamentos. Ou seja, quanto mais você pensa em alguma coisa, mais fácil será para você ter o mesmo tipo de pensamento novamente.

Por isso, se os pensamentos forem relacionamentos ao sentimento de gratidão e felicidade, maravilha! Você se tornará uma pessoa mais grata a cada instante. Mas, se os pensamentos forem negativos, as chances de você se tornar uma pessoa pessimista são grandes. “Com a repetição de pensamentos negativos, você fará as sinapses que representam sua tendência negativa se aproximarem. Assim, quando você estiver formando um pensamento, elas se sobressairão, tornando mais comum esse tipo de atitude durante o dia”, explicou Parton.

“Me diga com quem andas que te direi quem és”

Pois é, não basta não reclamar. O ideal é se cercar de pessoas que compartilhem dos mesmos pensamentos. E, existe uma explicação científica para isso também: “Quando vemos alguém experimentando alguma emoção, nosso cérebro tenta sentir a mesma coisa, acionando as mesmas sinapses que observamos no outro para imaginar o que a pessoa está sentindo. Isso é a empatia”, escreveu Parton em seu estudo.

Dessa forma, ao passar seu tempo com pessoas negativas, você se sentirá da mesma forma. Isso não quer dizer que você não pode ajudar um amigo que está passando por um momento difícil e precisa desabafar, apenas saiba se proteger de pessoas que vivem atrás de fofocas ou que são extremamente dramáticas.

O estresse é prejudicial para a saúde do seu corpo

Se nada disso te convenceu da importância de se manter positivo, um terceiro motivo pode fazê-lo. No fim do dia, a negatividade não serve para nada além de gerar estresse. Ao pensar negativamente, você está liberando o cortisol, que é o hormônio do estresse. Diversos estudos já alertaram sobre os malefícios do estresse para o corpo humano. Ele interfere em sua memória e aprendizado e prejudica seu sistema imunológico. Permitir que seu cérebro faça sinapses dessa natureza aumenta a pressão sanguínea, os riscos de doenças cardíacas, obesidade, diabetes e uma série de outras complicações. Melhor não arriscar, não é mesmo?

Foto: Thinkstock

Mais em Saúde e Bem-Estar

Bananas is good way for healthy carbs

O que comer antes e depois de uma atividade física?

Mariana Castro21/02/2017
Woman receiving cosmetic treatment

Como rejuvenescer a pele sem realizar procedimentos cirúrgicos?

Patricia Machado21/02/2017
Girls dancing at the festival

Dicas para cuidar dos olhos durante o carnaval

Redação Apontador20/02/2017
Happy woman at cafe using laptop

Marca de preservativos lança primeiro chatbot sobre saúde sexual no Brasil

Mariana Castro20/02/2017
Woman measuring her waist

Gene encontrado em verme pode ajudar a combater a obesidade, aponta estudo

Mariana Castro20/02/2017
Marijuana bud

Anvisa autoriza uso de medicamento à base de maconha para tratamento de Alzheimer

Patricia Machado17/02/2017
Doctor's and patient's hand

Câncer é a principal causa de morte por doença entre pessoas de 15 e 29 anos, diz estudo

Patricia Machado15/02/2017
idoso cartao de natal - imagem 3 - reproducao

Idoso com demência recebe cartões no dia dos namorados de pessoas desconhecidas

Mariana Castro14/02/2017
Noisy Nursery Lesson

Ruído nas escolas pode acarretar danos à audição de alunos e professores

Redação Apontador14/02/2017
Measuring fatty abdominal

Dormir menos de 7 horas por dia engorda, garante estudo

Patricia Machado13/02/2017
Alcohol cleaning gel

Anvisa suspende lote de gel antisséptico

Mariana Castro13/02/2017
girl in the forest uses the spray against mosquitoes

Oito produtos que podem perder o efeito ou fazer mal à saúde após o prazo de validade

Redação Apontador13/02/2017
Father and son future

Poupatempo ajuda no reconhecimento de parternidade

Mariana Castro13/02/2017
Audience with hands in the air at a music festival

Pesquisa descobre que música, sexo e drogas ativam as mesmas substâncias no cérebro

Mariana Castro10/02/2017
cadeira de rodas - divulgacao

Tecnologia permite que cadeiras de rodas sejam guiadas por expressões faciais

Patricia Machado10/02/2017