Vacina contra o zika vírus poderá ser testada em 2017

Por Patricia Machado em 29/06/2016

Em comunicado oficial, o Instituto Butantan afirmou que fechou uma parceria com o órgão de saúde dos Estados Unidos e com a Organização Mundial da Saúde para desenvolver uma vacina contra o vírus zika. A expectativa é que a vacina possa ser testada em seres humanos no primeiro semestre de 2017.

+ Como se proteger do zika vírus

+ Médico brasileiro desenvolve tratamento contra rinite alérgica

Com o acordo, o instituto receberá US$ 3 milhões (cerca de R$ 44,1 milhões) da Autoridade de Desenvolvimento e Pesquisa Biomédica Avançada (Barda, na sigla em inglês) para a realização de pesquisas para criar uma vacina com o vírus inativado. Além disso, o acordo prevê a compra de equipamentos e insumos para o desenvolvimento da vacina contra a doença e a cooperação técnica entre os especialistas em vacinas da Barda e os pesquisadores brasileiros.

O Instituto Butantan já vinha trabalhando no desenvolvimento da vacina contra o zika. Atualmente, o time de cientistas trabalha no processo de cultura, purificação e inativação do vírus em laboratório. Durante essa etapa, a instituição vai aplicar o vírus inativado em roedores. O próximo passo será a realização de testes de toxidade do produto em animais.

Até o momento, o zika vírus é apontado como o principal fator para justificar o aumento de casos de bebês com microcefalia. O Brasil já registra 1.616 casos confirmados de bebês com má-formação no cérebro.

Foto: Reprodução