Reino Unido ganha permissão para fazer fertilização com DNA de três pessoas

Por Patricia Machado em 20/12/2016

Uma novidade anunciada na semana passada transformou o Reino Unido no primeiro país a permitir e regulamentar a fertilização in vitro realizada com o material genético de três pessoas. O objetivo da nova técnica é prevenir a ocorrência de doenças hereditárias graves no feto.

+ Câncer de pele: saiba como prevenir e fazer o autoexame

+ 5 dicas para cuidar da saúde e beleza da pele no verão

A medida já havia sido autorizada pelo Parlamento britânico no ano passado. Mas, agora, a Autoridade de Fertilização e Embriologia (HFEA) deu a sua permissão para a realização do método.

A fertilização in vitro feita com o DNA de três progenitores também é chamada de transferência mitocondrial. O principal objetivo do método é prevenir que o bebê desenvolva doenças mitocondriais, que são provocadas por defeitos genéticos transmitidos pela mãe.

Por isso, durante a fertilização, os médicos utilizam o espermatozoide do pai, o óvulo da mãe e a mitocôndria de uma pessoa doadora.

Os dados revelam que cerca de um em cada seis mil bebês nascem com distúrbios mitocondriais no mundo. A condição pode levar a problemas cardíacos, deficiência hepática, cegueira e distrofia muscular.

Foto: Getty Images