Saúde e Bem-Estar

Profissionais que trabalham ao ar livre têm três vezes mais chances de desenvolver câncer de pele

Profissionais que trabalham ao ar livre têm três vezes mais chances de desenvolver câncer de pele

Segundo estimativas do Instituto Nacional do Câncer (INCA), só em 2016 serão registrados no Brasil 175.760 novos casos de câncer de pele, sendo 80.850 em homens e 94.910 entre mulheres.

+ Como prevenir o câncer de pele

As maiores vítimas são pessoas na faixa dos 40 anos, de pele clara — mais sensíveis a ação dos raios solares — ou com doenças cutâneas prévias.

Uma pesquisa recente descobriu que os profissionais que trabalham ao ar livre, como trabalhadores rurais, da construção civil e até policiais, estão mais propensos a desenvolver câncer de pele se comparados a outros trabalhadores. E não é pouco não: as chances de que isso aconteça são três vezes maiores após um período de cinco anos!

+ As principais dúvidas sobre o protetor solar

Além do câncer de pele, os profissionais que realizam suas atividades ao ar livre também têm chances de desenvolver a queratose actínica, uma lesão que indica dano solar e que também pode levar ao câncer. Para ser ter uma ideia, entre 40% a 60% dos tumores malignos surgem a partir de queratoses mal tratadas.

O relatório apoiado pela LEO Pharma, publicado no Journal of the European Academy of Dermatology and Venereology, também chama a atenção para que os trabalhadores sejam protegidos da radiação dos raios ultravioleta (UV) de forma primária e secundária, incluindo ações educativas e o uso de protetores solares.

Um grupo de especialistas em pele ainda está batalhando para que o câncer de pele do tipo não-melanoma e a queratose actínica sejam reconhecidos como doenças ocupacionais. Apesar dos profissionais que trabalham ao ar livre estarem até três vezes mais expostos aos raios UV do que a média das pessoas, atualmente não há um reconhecimento internacional de que a luz do sol é um risco ocupacional para eles. As discussões estão no Parlamento Europeu que se reúne este mês para debater o assunto.

Saúde e Bem-Estar

Mais em Saúde e Bem-Estar

young woman runner running on city bridge road

Exercícios de alta intensidade têm o mesmo efeito que atividades moderadas, diz estudo

Mariana Castro18/01/2017
makeup artist glues false eyelashes

Maquiagem nos olhos pode favorecer o surgimento de terçol

Redação Apontador18/01/2017
bebida alcoolica e aumento de apetite - getty images

Consumir bebida alcoólica aumenta o apetite, comprova estudo

Patricia Machado18/01/2017
Sick

Como diferenciar os sintomas da dengue, zika e chikungunya

Carolina Romanini17/01/2017
Mexican chili con carne in a pan on a wooden

Comida apimentada pode reduzir o risco de morte, aponta pesquisa

Mariana Castro16/01/2017
portrait of happy young business man at office

Levantar durante o trabalho ajuda a queimar calorias, diz estudo

Patricia Machado16/01/2017
Salt spilling on table from salt cellar

Reduzir o consumo de sal poderia salvar milhões de vidas, aponta estudo

Patricia Machado16/01/2017
Feeling sick and tired.

Pesquisa descobre como o estresse aumenta o risco de doenças cardiovasculares

Mariana Castro15/01/2017
Woman meditating in the lotus position closeup

Meditação, Reiki e musicoterapia serão oferecidos pelo SUS

Patricia Machado13/01/2017
medium roast steak

Consumir carne vermelha em excesso pode causar doença intestinal, diz estudo

Mariana Castro13/01/2017
bonecas de proposito - reprodução

Aposentada cria bonecas terapêuticas para confortar crianças internadas

Mariana Castro13/01/2017
Boy using digital tablet while lying on rug at home

Uso excessivo de dispositivos móveis pode causar problemas de visão em crianças, diz estudo

Patricia Machado12/01/2017
projeto acucar - capa - reproducao

Projeto mostra a quantidade de açúcar em produtos industrializados

Patricia Machado11/01/2017
tired woman runner taking a rest after running hard

Fazer exercícios apenas no final de semana pode ser bom para a saúde, diz pesquisa

Mariana Castro11/01/2017
Woman smoker smoking a filter tip

Tabagismo deve causar a morte de 8 milhões de pessoas por ano até 2030, diz estudo

Patricia Machado10/01/2017