Saúde e Bem-Estar

Prestar atenção no som da mastigação pode ajudar a comer menos

Prestar atenção no som da mastigação pode ajudar a comer menos

Sabe aquele péssimo costume de fazer as refeições enquanto assistimos televisão? Então, saiba que ele pode ser um dos maiores responsáveis por você comer mais do que deveria.

Uma pesquisa recente sugere que prestar atenção no som da mastigação pode ajudar a comer menos. Cientistas da Universidade Brigham Young e da Universidade do Colorado, nos Estados Unidos, fizeram um estudo para analisar esse efeito. Eles concluíram que quanto mais focamos nos barulhos que fazemos ao mastigar, menos comemos.

+ 5 alimentos que podem arruinar a sua dieta e sabotar a perda de peso

O ato de devorar um pacote de salgadinho enquanto assistimos um seriado ou uma pipoca enquanto vemos um filme só acontece porque nosso cérebro está “distraído” — assim, comemos tudo sem perceber. O mesmo costuma acontecer em encontros com amigos onde a conversa rola solta.

“É comum não repararmos no som que emitimos quando estamos comendo, mas prestar atenção nisso pode ajudar a reduzir o consumo dos alimentos”, explica Ryan Elder, um dos autores da pesquisa, que foi divulgada pela publicação científica Food Quality and Preference.

O problema, segundo Elder e seus colegas, acontece quando outros sons “mascaram” esses ruídos que nos ajudam a ser mais conscientes quanto ao que comemos. Para averiguar o alcance desse fenômeno, os cientistas fizeram três experimentos analisando o que chamam de “proeminência do som na alimentação”.

Um deles mostrou que as pessoas comem menos quando o som da comida é mais intenso. Para investigar essa relação, os pesquisadores deram fones de ouvido aos voluntários para controlar o volume em que escutavam seus ruídos ao mastigar alguns pretzels.

+ Ter amigos é tão importante para a saúde quanto dietas e exercícios

“Descobrimos que quanto mais alto era o som da mastigação, menos os participantes comiam”, disse Mohr à BBC. “Os efeitos podem não parecer tão grandes (em média, os voluntários comiam um pretzel a menosao escutar os sons), mas, ao longo de uma semana, um mês ou um ano, eles podem se acumular”.

Via BBC

Mais em Saúde e Bem-Estar

Self-confident brunette looking at reflection

Procedimentos estéticos são alternativa à bichectomia

Patricia Machado20/01/2017
Sad baby in bed

Acupuntura pode ajudar bebês que choram excessivamente, diz pesquisa

Patricia Machado20/01/2017
Green tea

Sete benefícios do chá verde para a saúde

Mariana Castro19/01/2017
unhappy man suffering from backache at home

Casos de pedra nos rins são mais comuns no verão

Patricia Machado19/01/2017
young woman runner running on city bridge road

Exercícios de alta intensidade têm o mesmo efeito que atividades moderadas, diz estudo

Mariana Castro18/01/2017
makeup artist glues false eyelashes

Maquiagem nos olhos pode favorecer o surgimento de terçol

Redação Apontador18/01/2017
bebida alcoolica e aumento de apetite - getty images

Consumir bebida alcoólica aumenta o apetite, comprova estudo

Patricia Machado18/01/2017
Sick

Como diferenciar os sintomas da dengue, zika e chikungunya

Carolina Romanini17/01/2017
Mexican chili con carne in a pan on a wooden

Comida apimentada pode reduzir o risco de morte, aponta pesquisa

Mariana Castro16/01/2017
portrait of happy young business man at office

Levantar durante o trabalho ajuda a queimar calorias, diz estudo

Patricia Machado16/01/2017
Salt spilling on table from salt cellar

Reduzir o consumo de sal poderia salvar milhões de vidas, aponta estudo

Patricia Machado16/01/2017
Feeling sick and tired.

Pesquisa descobre como o estresse aumenta o risco de doenças cardiovasculares

Mariana Castro15/01/2017
Woman meditating in the lotus position closeup

Meditação, Reiki e musicoterapia serão oferecidos pelo SUS

Patricia Machado13/01/2017
medium roast steak

Consumir carne vermelha em excesso pode causar doença intestinal, diz estudo

Mariana Castro13/01/2017
bonecas de proposito - reprodução

Aposentada cria bonecas terapêuticas para confortar crianças internadas

Mariana Castro13/01/2017