Pesquisa revela novidades no tratamento do câncer de mama mais agressivo

Por Mariana Castro em 01/07/2016

Novidades no tratamento para o câncer de mama trazem avanços dignos de muita comemoração. Um grupo de cientistas do Cancer Research UK, no Reino Unido, descobriu recentemente uma forma de retardar o crescimento do tipo mais agressivo da doença. A pesquisa foi publicada na revista Oncogene.

+ Nove mudanças de hábitos que podem ajudar na prevenção do câncer

+ Bebidas muito quentes podem causar câncer de esôfago, diz OMS

A descoberta é um composto chamado JQ1, que impede que as células cancerígenas se adaptem à falta de oxigênio. Segundo o estudo, ele seria capaz de retardar o desenvolvimento dos tumores.

A hipóxia, que é a falta de oxigênio no sangue ou nos tecidos, é muito comum no câncer mais agressivo, do tipo triplo negativo, e acontece em mais da metade dos casos de câncer ao redor do mundo.

A falta de oxigênio dificulta o tratamento do câncer porque as células cancerígenas conseguem mudar a sua estrutura biológica para se adaptarem à baixa quantidade de oxigênio, o que as torna resistentes às terapias convencionais.

O composto descoberto pelos cientistas altera a forma com que as células cancerígenas reagem à hipóxia e promete ser de grande ajuda no tratamento de milhares de mulheres. Nell Barrie, do Cancer Research UK, ressalta que agora deve-se examinar “a efetividade do JQ1 sobre os pacientes”.

Foto: Thinkstock