Saúde e Bem-Estar

Pesquisa descobre como a fome influencia as atitudes das pessoas

Pesquisa descobre como a fome influencia as atitudes das pessoas

Quando estamos famintos, parece que nos transformamos em outra pessoa. Muitas vezes ficamos irritados e até paramos de racionar enquanto não conseguimos comer. Com base nessas experiências, uma pesquisa feita nos Estados Unidos quis entender qual era o poder da fome no organismo humano.

+ Cinco receitas de sanduíches saudáveis para matar a fome

+ Nutricionistas explicam o que pode estar te deixando sempre com fome

Para realizar o estudo, os cientistas do National Institutes of Health comandaram três experiências com ratos de laboratório. A primeira parte do estudo queria entender como animais com fome e sede se comportavam. Por isso, parte dos ratos estava passando fome e sede enquanto os demais estavam apenas com sede. Ao soltá-los em uma gaiola com água e comida, os animais que apresentavam as duas condições ignoraram a sede e procuraram a comida imediatamente.

Depois, os cientistas verificaram como a fome se sobrepõe à sensação de medo. Eles passaram uma substância química que é semelhante à de uma raposa em uma gaiola em que havia comida. Parte dos ratos estava com fome enquanto os demais estavam saciados. Ao soltarem os animais, quem estava com fome ignorou o medo e entrou na gaiola para pegar o alimento.

Por fim, a pesquisa fez um teste para entender como a fome abalava as relações sociais. Como feito nas experiências anteriores, parte dos ratos estava com fome. Além disso, na gaiola em que havia alimento também havia um rato porque esses animais são sociáveis e gostam de interagir com os demais. Quando libertados, os animais que estavam famintos ignoraram a presença do outro rato e procuraram a comida imediatamente enquanto os outros brincaram com o animal.

Com base nessas evidências, os pesquisadores concluíram que a sensação de fome é tão poderosa que ela faz com que as pessoas ignorem seus medos, amigos e até outras necessidades, como estar com sede. A pesquisa foi publicada no periódico Neuron

Foto: Getty Images

Mais em Saúde e Bem-Estar

Friends in the cafe

Álcool compromete o cérebro mesmo sem causar embriaguez, diz pesquisa

Mariana Castro20/04/2017
Girl looking in the mirror

Cinco sinais de que sua pele está envelhecendo rápido

Patricia Machado19/04/2017
Businessman sleeping on the couch

Sonecas deixam as pessoas mais felizes, garante pesquisa

Mariana Castro18/04/2017
Pampering cream

Quatro hábitos que podem prejudicar a pele no inverno

Patricia Machado18/04/2017
Teen woman with headache holding her hand to head

Enxaqueca influencia no desenvolvimento de transtorno de ansiedade, conclui pesquisa

Mariana Castro17/04/2017
Woman doing yoga exercise

Meditar regularmente pode ajudar a reduzir o estresse, diz estudo

Mariana Castro17/04/2017
Portrait of a beautiful little girl with strawberry

Consumir frutas pode reduzir o risco de diabetes, aponta pesquisa

Mariana Castro17/04/2017
Sad little girl

Problema auditivo pode prejudicar o aprendizado das crianças na escola

Mariana Castro11/04/2017
mother teaching daughter to cut vegetables

Mitos e verdades da dieta vegana

Mariana Castro10/04/2017
assadura em bebes - istock

Dicas para tratar assaduras em bebês

Mariana Castro10/04/2017
Mother and daughter

Filhos de mães mais velhas têm menos problemas comportamentais, diz estudo

Mariana Castro07/04/2017
woman tired of diet restrictions craving sweets chocolate

Psicólogos desenvolvem técnica para controlar compulsão por chocolate

Mariana Castro06/04/2017
boy and headphones

Jogar videogame pode ajudar no combate à depressão, afirma pesquisa

Mariana Castro05/04/2017
Woman Suffering From Stomach Ache

Itália planeja oferecer licença remunerada para quem sofrem com cólicas menstruais

Mariana Castro03/04/2017
Prescription Drug

Tomar anti-inflamatórios aumenta o risco de infarto, diz pesquisa

Mariana Castro31/03/2017