Pacientes acompanhados por médicas têm menos chance de falecer, diz estudo

Por Patricia Machado em 23/12/2016

Uma pesquisa realizada nos Estados Unidos descobriu um fato bastante curioso. Cientistas constataram que os pacientes que eram hospitalizados e atendidos por médicas, ao invés de profissionais do sexo masculino, tinham uma propensão menor de morrer no período de um mês após a entrada no centro médico.

+ Como se manter hidratado no verão?

+ Estudo comprova que viver perto da água diminui o estresse

O estudo, comandado pela Escola T.H. Chan de Saúde Pública de Harvard, analisou os dados referentes a 1,5 milhão de hospitalizações que aconteceram entre 2011 e 2014 por diversos motivos. Dentre os voluntários, 620 mil eram homens e 960 mil eram mulheres. Todos eles tinham mais de 65 anos.

Ao longo do período em que os pacientes ficaram no hospital, eles foram assistidos por 20 mil mulheres e cerca de 40 mil homens. Depois de cruzarem essas informações, os cientistas observaram que quem era atendido por uma médica tinha o risco de falecer após um mês da hospitalização reduzido em 4%. Além disso, os pacientes tiveram uma chance 5% menor de serem readmitidos no hospital, em comparação com os que foram acompanhados por um médico do sexo masculino.

Os pesquisadores ainda não sabem explicar o que gerou os resultados encontrados. Uma possibilidade é que as profissionais do sexo feminino fornecem mais cuidados preventivos, se comunicam melhor e seguem com mais precisão as diretrizes clínicas do que os homens.

A conclusão encontrada foi publicada no periódico científico JAMA Internal Medicine.

Foto: Getty Images