Medicamento modificado em laboratório combate bactérias resistentes a antibióticos

Por Mariana Castro em 08/06/2017

Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), bactérias resistentes são uma das maiores ameaças à saúde global. Elas tornam muito difícil o tratamento de diversas doenças, uma vez que os antibióticos passam a ser menos eficazes no combate a elas. Pensando nisso, cientistas americanos fortaleceram, em laboratório, um antibiótico chamado vancomicina, a fim de lutar contra a resistência bacteriana.

+ Como o corpo humano processa os medicamentos?

+ Medicamentos genéricos: funcionam ou não?

Realizado pelo Instituto de Pesquisa Scripps, nos Estados Unidos, o estudo usou a vancomicina pois é uma das drogas mais eficazes para combater infecções bacterianas. O medicamento passou por três modificações, até que sua potência estivesse mil vezes maior do que a versão original. Isso gerou um composto capaz de matar as bactérias que são resistentes a antibióticos e responsáveis por infecções urinárias, meningites e endocardites.

Responsável pela pesquisa, o químico Dale Boger já havia demonstrado anteriormente que duas modificações no composto aumentavam sua potência. Entretanto, esta terceira modificação testada interferiu na parede celular bacteriana de forma inédita, potencializando o medicamento. Isso levaria os médicos a recomendarem doses muito reduzidas para combater as doenças em questão.

+ Anvisa reconhece cannabis sativa como planta medicinal

A descoberta fortalece o medicamento pois lhe fornece três mecanismos de ação diferentes, o que facilita o combate às superbactérias. “Os organismos simplesmente não conseguem encontrar uma maneira de superar os três mecanismos. Mesmo que as bactérias contornem um deles, elas seriam mortas pelos outros dois”, disse o cientista, em comunicado.

O próximo passo, para os pesquisadores, é encontrar uma forma mais sintetizada de produzir a vancomicina alterada em laboratório. Atualmente, trinta etapas são necessárias.

Foto: Getty Images