Marketing infantil pode ajudar as crianças a consumirem mais vegetais, revela estudo

Por em 05/07/2016

A questão acerca do marketing infantil é polêmica. Muito se discute sobre o impacto das ações publicitárias diretamente voltadas às crianças. Em alguns lugares do mundo, a prática é até proibida.

Um estudo publicado recentemente no periódico Pediatrics, porém, alerta para o retorno positivo do marketing infantil quando usado “para o bem”.

+ Restaurantes para ir com as crianças

+ Como lidar com as birras das crianças

Pesquisadores das universidades de Ohio e Cornell, nos Estados Unidos, usaram técnicas de marketing para convencer as crianças a consumirem mais vegetais em dez escolas do ensino fundamental. Os resultados foram animadores.

As escolas foram divididas em quatro grupos. No primeiro, as crianças foram expostas a cartazes de vinil ao longo do buffet de self-service. Neles, os vegetais apareciam como super heróis. No segundo grupo as crianças assistiram a um programa educacional que falava sobre os benefícios do consumo de vegetais. Já no terceiro elas foram expostas às duas abordagens: cartazes e programa de TV. O quarto atuou como grupo de controle.

Ao final de seis semanas, os pesquisadores levantaram os dados gerados por 22.206 alunos. Os resultados surpreenderam: o grupo que foi exposto aos personagens em banners consumiu 90,5% mais vegetais no período. Já o grupo impactado por ambas as ações mostrou um aumento de 239,2% no consumo de verdes.

“Muitas pessoas ainda se mostram relutantes, dizendo que o marketing é ‘do mal’”, disse um dos autores da pesquisa, David R. Just, ao jornal The New York Times. “Mas eu tenho que discordar. É possível usar essas técnicas para o bem”.

Just alerta: “Isso precisa se tornar um programa nacional. O McDonald’s só vende porque trabalha o seu marketing de todos os lados”.

Fonte: The New York Times